10 de dezembro de 2010

Parábola do Joio e do Trigo

A PARÁBOLA DO JOIO E DO TRIGO
(Mateus, capítulo 13º, versículos 24 a 30, e 36 a 43)




Um semeador, durante todo o dia, semeou grãos de trigo no seu campo.
Ao por do sol voltou para casa, cansado, mas, feliz por haver realizado sua missão de trabalho. Se­meara trigo e estava contente porque aquele trigo seria, em breve, transformado em pão, para ali­mento de muita gente.
Porém, esse homem tinha um inimigo que inve­java suas plantações. O inimigo era mau e queria, a todo custo prejudicar as sementeiraS do fazendeiro.
“Que farei?” — pensava o inimigo. E teve a idéia maldosa de semear pequenas pedras no campo de trigo; mas, poderiam ser retiradas e seu ódio não ficaria satisfeito. Resolveu, então, semear joio onde o trigo havia sido semeado. Foi esse o plano maldoso do inimigo do semeador.



O joio é uma planta muito parecida com o trigo, mas, não serve para a alimentação do homem, po­dendo até envenená-lo. Eis porque o inimigo do fa­zendeiro quis fazer a mistura do joio com o trigo no campo, visando prejudicar a colheita e causar males aos que se alimentassem do produto daquele campo.
O inimigo fez o que pensou. Durante a noite, enquanto o fazendeiro e seus trabalhadores dormiam, o homem maldoso entrou no campo e semeou joio no meio do trigal. Completada sua obra de ódio e ruindade, ele se retirou, cuidadosamente.
Algum tempo depois, quando as espigas de trigo já surgiam no campo, apareceu também o joio.


Então, os trabalhadores foram dizer ao fazen­deiro o que haviam visto no campo:
— Senhor, não semeaste no campo somente boas sementes? Por que, então, está nascendo joio no tri­gal?
O fazendeiro já havia descoberto tudo e respon­deu aos servidores:
— Foi um inimigo que fez isso...

Os trabalhadores lhe perguntaram:
— Senhor, queres que vamos, agora mesmo, arrancar o joio?
O senhor, porém, lhes respondeu com uma expli­cação:
- Não é possível fazer isso agora. Vocês sabem que o joio é muito parecido com o trigo.
Se vocês quiserem arrancar o joio, que foi plantado junto com o bom grão, arrancarão também o trigo, pois as raizes de ambos muitas vezes se entrelaçam. Deixem que cresçam juntos o joio e o trigo. Na época da ceifa, eu direi aos ceifeiros que colham primeiro o joio e o atem em feixes para queimá-lo; e depois juntem o trigo no meu celeiro.


* * *

Esta Parábola do Joio e do Trigo, Jesus a contou ao povo da Galiléia. Seus discípulos estavam presen­tes, mas, não a entenderam. Quando Jesus chegou àcasa de Simão Pedro, os discípulos lhe pediram que lhes explicasse a parábola.
E o Divino Mestre interpretou-a com muita sim­plicidade.
Que você, meu querido menino, preste atenção para entendê-la também.
Eis a explicação de Jesus:
O Semeador, é Ele mesmo, Jesus, que semeia a boa semente.
O campo é o mundo, Terra onde vivemos.
A boa semente são os filhos do Reino, isto é, são as almas que ouvem o Evangelho e fazem todos os esforços para compreendê-lo e praticá-lo.
O joio são os filhos do Maligno, o que quer dizer, as almas que não querem ouvir as leis divinas nem as cumprir, mas, buscam os maus caminhos do vicio, da maldade e do pecado.
O inimigo, que semeou o joio, é o Diabo, palavra que traduz as Forças do Mal, os Espíritos das Trevas, que lutam contra a obra de Jesus, induzindo as almas ao crime, ao pecado e à injustiça.

A ceifa é o fim do mundo, isto é, a época da regeneração da Terra, quando o nosso planeta dei­xar de ser um mundo de expiação e de provas para ser elevado à categoria de mundo de regeneração, com o surgimento do Reinado de Jesus entre os homens.

Os ceifeiros são os anjos. A palavra anjo quer dizer mensageiro. Os ceifeiros serão os Mensageiros da Luz, verdadeiros chefes invisíveis da humanida­de; são os Grandes Espíritos que, em nome de Deus, dirigem os nossos destinos e vão presidir a trans­formação do mundo.

Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será também na época da Grande Regenera­ção em nosso mundo. Haverá uma verdadeira sepa­ração das almas obedientes das rebeldes. Os que desejam sinceramente o caminho do Bem e da Jus­tiça serão distanciados daqueles que, por gosto próprio, preferem o caminho da maldade e da injus­tiça.

Os Grandes Espíritos presidirão a essa separa­ção, que não está longe de ser feita. Todos os que cometem escândalos, maldades, injustiças serão des­tinados aos mundos inferiores, onde serão purifica­dos pelo fogo da dor e da expiação. Nesses mundos inferiores (que são o inferno de que fala o Evan­gelho), as almas rebeldes sofrem imensamente. Mais tarde, você vai ler os livros de André Luiz, psico­grafados por Francisco Cândido Xavier, e verá como é triste o destino das almas que se colocam contra as leis de Deus.
Outro, bem diferente, é o destino dos justos, das almas obedientes e fiéis. Disse Jesus: “Elas brilha­rão como o sol, no Reino de Deus”. Aqueles que, neste mundo, buscarem fazer o bem aos semelhantes e cumprir os mandamentos divinos, serão, na Eterni­dade, Espíritos bons e dignos, seres felizes, belos e resplandecentes. Eis a recompensa que Deus destina aos Seus filhos bondosos e fiéis.

* * *
Entendeu, filhinho, a Parábola do Joio e do Trigo?
Medite bem nela. Seja no mundo a semente de trigo, crescendo sob as bênçãos de Deus, para se transformar numa espiga loura e bela. Seja um filho do Reino, sempre obediente à Lei Divina.

Não permita que as Forças do Mal — Espíritos das Trevas —, lancem no seu coraçãozinho o joio da rebeldia e da maldade, dos pensamentos pecamino­sos e indignos.
Salomão já ensinava, há três mil anos: “Acima de todas as coisas que se devem guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida” (Provérbios, 4:23).
É uma grande verdade, meu filho. Guarde o seu coraçãozinho para o Divino Semeador. Receba so­mente as sementes do trigo celeste, que são os ensi­nos de Jesus e as inspirações do bem.
Fonte: Histórias que Jesus Contou, de Clóvis Tavares; imagens retiradas da internet.

3 comentários:

andrea sp e kalphani disse...

muito bom saber esta explicação sobre o trigo e o joio como ficou facíl de passar esta historinha para meu filho

KALPHANI disse...

EU ADOREI ISSO FIQUEI IMPRESSIONADO COM ESTA PARÁBOLA

Lucy disse...

Olá querida, tudo bem? Espero que sim. Estamos utilizando esse livro de Clóvis Tavares para o nosso programa de evangelização também e adorei as explicações dadas de forma clara e totalmente condizentes com a Doutrina. Muito Obrigada por esse espaço!!!
Luciana ("Tia Lu" - Centro Espírita Galiléia - São Gonçalo RJ)