4 de dezembro de 2015

Aula - A Obsessão

AULA - A OBSESSÃO 


OBJETIVO: Explicar a importância de manter o pensamento harmonizado para ficar equilibrado e manter sintonia com os bons espíritos. Explicar que a pessoa desarmonizada esta sujeita a influência dos maus espíritos através do pensamento, mas que não somos como marionetes e que é o nosso livre-arbítrio que determina se tal influência tem ou não efeito.
BIBLIOGRAFIA: Livro dos médiuns de Kardec; André Luiz - Estude e Viva; Allan Kardec - A Gênese; Vinícius - Nas Pegadas do Mestre; Suely Caldas Schubert - Obsessão/Desobsessão.
Harmonização com música

Prece inicial

Primeiro momento: Exposição

Na aula passada falamos um pouco sobre sintonia, então vamos recordar: O que é sintonia?
É a identidade ou harmonia vibratória, o grau de semelhança do padrão vibratório mental, ou seja, a afinidade moral entre pessoas.
E como entramos em sintonia com os outros? Basta estarmos pensando em um dado tema ou assunto, para, de imediato, atrairmos os espíritos em sintonia com o tema. Basta termos o mesmo interesse.
O pensamento é o meio de sintonia entre os espíritos encarnados e desencarnados. Atraímos Espíritos que se identificam com nossas ideias.
Por exemplo, um estádio de futebol – quem será atraído por ele? Somente vai a um estádio de futebol quem gosta de futebol.
Afinidades nos fazem mal? Na realidade, não há. O que ocorre é que nossas imperfeições, que atraem espíritos que se aproveitam dessa imperfeição para nos causarem danos.
Allan Kardec pesquisou através de observações e perguntas feitas a vários espíritos, sobre a intervenção dos espíritos no mundo corporal, e os Espíritos superiores responderam que estes estão sempre em contato conosco, observando-nos e influenciando-nos, através de nossos pensamentos e ligando-se a nós através de nossas tendências e gostos afins.
Se nossas tendências e gostos estão em desarmonia vamos encontrar espíritos que se ligarão a nosso pensamento que pensam como nós.
Essa LIGAÇÃO DO PENSAMENTO começa com uma sugestão simples, como, por exemplo, “Jogue pedra naquela vidraça! Vai ser divertido!”, se quem é inspirado com esse pensamento ruim tem sentimentos iguais, ele aceita a ideia e a cumpre. Ele então recebeu a INFLUENCIA ESPIRITUAL de um espírito voltado para o mal, e pode ser ele encarnado ou desencarnado.
Pode acontecer destes espíritos quando encontram um encarnado que sempre lhe atenda as sugestões passam a influenciar aquele mesmo individuo por muito tempo, até que ele mude sua forma de sentir e pensar.
A essa influencia persistente de um espírito dá-se o nome de OBSESSÃO. A obsessão é a escravização temporária do pensamento, e a ação persistente que um espírito exerce sobre outro espírito encarnado ou desencarnado sempre com a finalidade de “dominar”.
“A uma simples vibração de nosso ser, a um pensamento emitido, por mais secreto que pareça, evidenciamos de imediato a faixa vibratória em que nos situamos, que terá pronta repercussão naqueles que estão na mesma frequência vibracional. Assim, atrairemos aqueles que comungam conosco e que se identificam com a qualidade de nossa emissão
 mental.”
A obsessão começa desde a simples influência moral, sem sinais exteriores que não se percebem, até a perturbação completa das faculdades mentais e orgânica.
A essa ação insistente de um espírito sobre outro pode ter vários fatores como vingança (outras vida) ou um apego muito grande e descontrolado.
O espírito fica junto à pessoa influenciando em sua vida atrapalhando seus relacionamentos, com isso a pessoa passa a sentir as dores que o espírito sente tendo sintomas de algumas doenças que a medicina não consegue ver.
As dores físicas são tratadas pela medicina, as dores causadas por obsessores são tratadas com água fluída, passes, oração, mas a cura depende principalmente do doente, ele que tem que modificar seus sentimentos e pensamentos, no bem e no amor.
Por isso devemos fazer uma higiene mental, ou disciplinar e edificar o pensamento através da fixação da mente em ideias superiores da vida, do amor, da arte elevada, do bem, da imortalidade, constitui objetivo moral da reencarnação, de modo que a plenitude, a felicidade sejam a conquista a ser lograda.
Atitudes que auxiliam no tratamento e cura da obsessão:
ü  Harmonizar-se na prece; prece pelos perseguidores;
ü  Passe e água fluidificada;
ü  Seguir o tratamento espiritual indicado;
ü  Fazer o culto do evangelho no lar;
ü  Assistir palestras públicas com frequência;
ü  Reforma moral: procurar renovar-se transformando pensamento e sentimento para ideias elevadas;
ü  Leituras edificantes; estudo constante do evangelho;
ü  Ação no bem;
ü  Mudar hábitos como: livros, jogos, filmes e músicas deprimentes, violentos, sensuais, etc.
Como conseguem realizar semelhantes proezas os assaltantes do além? Simples: exploram as deficiências morais da vitima, a fim de submetê-las a tensão e precipitá-la ao desajuste.

TIPOS DE OBSESSÃO

1- OBSESSÃO SIMPLES:- Onde a vítima é perturbada por ideias infelizes.
"Fechou a porta do estabelecimento?”; "O dinheiro foi trancado no cofre ou esqueci?"; "Será que desliguei a luz?”
Rendendo-se as primeiras sugestões, que logo serão seguidas de outras, infindavelmente, o comerciante breve estará repetindo intermináveis cuidados e verificações; Conduta irregular e absurda - ele sabe disso - mas não consegue evitar, pois está sendo explorada sua grande paixão: o apego aos bens materiais. E após exaustivas "conferências", chegará a casa com um tremendo "mau humor" ( O obsessor conseguiu o que queria).
Se o comerciante fosse menos comprometido com a avareza, se suas motivações girassem em torno de temas mais edificantes, aquelas ideias jamais seriam assimiladas. Não haveria nem sintonia nem receptividade para elas.
O obsessor só consegue semear a obsessão em terreno fértil, formado pelo objeto de nossas cogitações, de nossos desejos, quando exagerados.

2- FASCINAÇÃO:- Onde a vítima acredita e está convencida na veracidade das idéias infelizes.
Em casos de suspeitas infundadas relacionadas a traição por parte de sócios, cônjuge, etc. Muitas vezes com finais trágicos.
Pensando... Por que os Espíritos amigos (Anjos da guarda, Mentor?) não promoveram o afastamento do obsessor? Não pode o BEM sempre mais?
Simples: a Fascinação não é unilateral. 
O obsediado não foi vítima de um assalto, simplesmente rendeu-se às ideias que lhe eram sugeridas
E se chegou ao extremo da fascinação, refugou todos os recursos de auxilio mobilizados pelos benfeitores espirituais em seu favor. Infelizmente o indivíduo obsediado cristalizou a ideia sugerida e nada mais o convenceria do contrário.

3- SUBJUGAÇÃO:- Pouco importa o que a vítima pensa.
A subjugação é uma constrição que paralisa a vontade daquele que a sofre e o faz agir a seu malgrado.
Numa palavra: O paciente fica sob um verdadeiro jugo.
"A subjugação pode ser moral ou corporal. No primeiro caso, o subjugado é constrangido a tomar resoluções muitas vezes absurdas e comprometedoras que, por uma espécie de ilusão, ele julga sensatas; é uma como fascinação. No segundo caso, o Espírito atua sobre os órgãos materiais e provoca movimentos involuntários." (Livro dos médiuns de Kardec)
A subjugação física pode levar uma pessoa aos mais ridículos atos.
Conhecemos um homem que sendo vítima de uma obsessão dessa natureza, sentia uma força irresistível de ficar de joelhos a uma mulher que não tinha interesse algum. Outras vezes sentia uma pressão forte em seu corpo, obrigando-o a beijar o chão nos lugares públicos na presença de multidões. Todos consideravam louco esse homem, porém ele sabia que não o era, porque tinha plena consciência do ridículo ao qual passava.
Acredito que fazendo uma análise de suas vidas passadas, encontraremos a explicação do "porque" dos espíritos obsessores o obrigarem a fazer isso..
(Atenção - a Possessão vai além da Obsessão; ela está mais ligada à mediunidade)

Finalizando: não se enganem amigos, não são somente os tolos e ignorantes que sofrem o assédio dos obsessores.
A razão é simples:
1- Os obsessores são pessoas, portanto também podem ser (e são) inteligentes.
2- Moralidade independe do avanço intelectual.
3- Como dito acima: Para dar acesso à obsessão, basta ser simpático a "pensamentos infelizes" e isso não depende de inteligência.

OS MEIOS DE SE COMBATER A OBSESSÃO?
O FORTALECIMENTO DA ALMA

“Para se evitar as doenças, fortifica-se o corpo; para


se garantir contra a obsessão, é mister fortalecer a
alma. Daí a necessidade de o obsidiado trabalhar pelo
seu próprio melhoramento.” Allan Kardec - A Gênese

HÁBITO DA PRECE
“Em todos os casos de obsessão, a prece é o mais
poderoso meio de que se dispõe para demover de
seus propósitos maléficos o obsessor.” Allan Kardec - A
Gênese
AUTO-EDUCAÇÃO
“Nossas mentes, como nossos corações devem estar
sempre ocupados com o que é puro e bom, de modo
que não haja lugar para o que é impuro e mau.”
Vinícius - Nas Pegadas do Mestre

DIAGNOSTICANDO A OBSESSÃO

“Seja claro consigo para auxiliar os Mentores Espirituais a socorrer você. Essa é a verdadeira ocasião da humildade, da prece, do passe.” André Luiz - Estude e Viva.

“Sempre que você experimente um estado de espírito tendente ao derrotismo, perdurando há várias horas, sem causa orgânica ou moral de destaque, avente a hipótese de uma influenciação espiritual sutil.”
André Luiz - Estude e Viva.
COMO IDENTIFICÁ-LA?
Dificuldade de concentrar em motivos otimistas.
Ausência de ambiente íntimo para elevar os sentimentos em oração ou concentrar-se em leitura edificante.
Indisposição inexplicável, tristeza sem razão aparente e pressentimento de desastre imediato.
Pessimismo.
Irritações surdas, queixas, exageros de sensibilidade e aptidão para condenar quem não tem culpa.
Interpretação forçada de fatos e atitudes suas ou dos outros, que você sabe não corresponder a realidade.
Hipermotividade ou depressão.
Ânsia de investir no papel de vítima.
Teimosia em não aceitar que haja influenciação espiritual consigo.

QUEM É O OBSESSOR?
Não é um monstro saído das trevas.
Não é um ser diferente que só vive de crueldades, nem um condenado sem remissão pela Justiça Divina.
O obsessor é uma pessoa como nós.
Não é um ser estranho a nós. Pelo contrário, é alguém que se privou de nossa intimidade, por vezes com estreitos laços afetivos.
É alguém, talvez, a quem amamos outrora. Ou um ser desesperado pelas crueldades que recebeu de nós...”
O obsessor é um irmão, a quem os sofrimentos e desenganos desequilibraram, certamente com a nossa participação.
(Suely Caldas Schubert - Obsessão/Desobsessão)

“Vinde a mim, todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei comigo que sou brando e humilde de coração e achareis repouso para vossas almas, pois é suave o meu jugo e leve o meu fardo”. Jesus - Mateus 11 : 28 a 30

 Segundo momento: Vamos fazer um desenho de sintonia positiva e negativa!
O que vocês mais fazem quando estão numa roda de amigos.
Se você pudesse escolher, você gostaria de sintonizar com quais espíritos?
Você pode escolher! Como?

HARMONIZAÇÃO FINAL / PRECE