10 de julho de 2009

Aula - Parábolas que Jesus contou

PLANO DE AULA
Parábolas que Jesus contou
“Parábola do Semeador”

Prece Inicial
Primeiro momento: iniciar a aula colocando no quadro nove traços e solicitar aos evangelizandos que digam letras, até formarem o assunto que será tratado na aula.
Segundo momento: explicar o que significa a palavra parábola e porque Jesus se utilizava delas para ensinar ao povo.
Parábolas são as histórias que Jesus contava, eram pequenas histórias que continham ensinamentos morais. Jesus as utilizava para que as pessoas entendessem e guardassem no coração os ensinamentos. Através delas eram ditas verdades, que de outra maneira não seriam escutadas nem entendidas pelas pessoas da época. São feitas comparações com acontecimentos da vida cotidiana; uma forma de facilitar a compreensão das coisas espirituais.
Terceiro momento: contar a parábola do semeador, utilizando-se de recursos visuais.
A PARÁBOLA DO SEMEADOR
Nosso Senhor Jesus saiu cedo de casa naquele dia, assentou-se enquanto uma multidão se reuniu perto dele ouvindo – o falar:
“Certo dia um homem do campo pôs-se a semear. Jogou as sementes na terra e um pouco caiu no caminho, e logo vieram os passarinhos e as comeram.
Outras sementes caíram no meio das pedras, onde havia pouca terra. As sementes brotaram logo, mas não tinham raízes profundas e o sol forte as secou.

Outras sementes caíram entre espinhos, e elas não puderam crescer e morreram, pois os espinhos as sufocaram.
Por fim, as últimas sementes que lançou caíram em terra boa e fértil. E cada uma dessas sementes cresceu e tornou-se frutíferas, chegando a produzir trinta, sessenta e até cem frutos.”
EXPLICAÇÃO
Então, os amigos de Jesus pediram que Ele explicasse o que a história do semeador queria dizer.
"O semeador da história é Ele, Jesus. As sementes são suas palavras, seus ensinamentos. O solo ou a terra são as pessoas que são umas diferentes das outras como o solo em que as sementes caíram.
Há pessoas que são semelhantes às sementes que Jesus referiu-se na parábola:
As primeiras sementes que caíram no caminho e os passarinhos comeram, essas representam as pessoas que não compreendem a palavra de Jesus e não dão importância para o que Ele diz. Então, suas palavras (sementes) ficam jogadas, esquecidas em seus corações (no solo) e vem o tempo (os pássaros) e as levam. Assim como os passarinhos que vêm comer as sementes, as más ações dessas pessoas fazem com que a palavra de Jesus não esteja no coração delas.
As sementes que caíram no meio das pedras representam as pessoas que ouvem, admiram-se, acham muito bonito, mas logo que aparece um obstáculo ou uma dificuldade, elas desistem e abandonam suas palavras. Ainda tem o coração muito endurecido.
As sementes que caíram no meio dos espinhos e ficaram sufocadas representam as pessoas que estão sufocadas por preocupações, ocupadas em fazer conquistas materiais, ganhar dinheiro, as vezes tentam seguir os exemplos de Jesus, mas são muito egoístas, não conseguem repartir, não entendem a fraternidade.

Quanto às sementes que caíram em terra boa, elas representam as pessoas que tem vontade e esforçam-se em seguir as palavras de Jesus e as praticam. Nessas pessoas as palavras de Jesus dão muitos frutos, é considerada a “terra fértil que produz”."

Com essa história, que possamos ser semelhante ao semeador, e também, como o solo fértil, bons de coração, seguindo e vivendo os ensinamentos e exemplos que nos deu nosso Divino Mestre, Nosso Senhor Jesus Cristo.
Meus amiguinhos, os ensinamentos de Jesus são sementes. É só plantar em nossos corações e cuidar para que cresçam e se transformem em belas árvores de amor. Vamos procurar ser em nossa vida diária, como o semeador da parábola, isto é, semearmos as boas palavras, os bons pensamentos, as boas ações. E não importa se não forem bem recebidos ou aceitos pelos seus amigos. Não importa se te acharem “careta”. Continuemos a boa semeadura.
Então, crianças, vamos começar a preparar os nossos corações para conseguirmos produzir e colher os frutos do perdão, da amizade, da compreensão e da fraternidade?
Quarto momento: Contar a história a seguir.

A Colheita

Cuca gostava muito de ir às aulas de evangelização espírita e ouvir as lindas histórias de Jesus.
Cuca pensava... Como são lindas as parábolas de Jesus!
Repetia tudo o que ia aprendendo para seus amigos e amigas.
Certo dia, quando voltava da escola, encontrou seu amigo Kiko.
- Olá, Kiko, como vai?
- Tudo bem, Guga.
Com muito entusiasmo, foi logo dizendo o que havia aprendido na escola de evangelização espírita.
- Hoje aprendi mais uma coisa muito importante, Kiko.
- O que, Cuca? Estou curioso para saber.
Toda orgulhosa, Cuca explicou:
- Aprendi que Jesus, há dois mil anos, nos trouxe ensinamentos valiosos para sermos felizes.
- Nossa! E como a gente faz para ser feliz, Cuca?
- É fácil – disse Cuca, despreocupada. – Basta perdoarmos as ofensas, amando todos como irmãos, entendo suas fraquezas.
- Que ensinamento importante, Cuca!
- Vou escrevê-lo no papel para esquecer nunca.
- Tchau, cuca, agora preciso ir.
- Tchau, kiko, na próxima semana eu lhe conto outra lição de Jesus.
Um dia, logo depois da aula, cuca chegou em casa e viu seu quarto todo desarrumado. Ficou furiosa e foi logo gritando:
- Quem foi que fez essa bagunça?!!
- A mãe de cuca explicou com paciência que a irmãzinha havia começado a andar e que, por curiosidade natural, remexeu em suas coisas. Não adiantou. Cuca saiu gritando e reclamando da irmãzinha.
No mesmo instante, Kiko, que estava passando em frente à casa, vê Cuca aos berros.
- O que aconteceu, Cuca?
- A minha irmãzinha bagunçou todo o meu quarto!
- Não estou entendendo, cuca: não foi você que me falou sobre a felicidade que Jesus ensinou a buscar, com o amor aos nossos irmãos?
Cuca ficou sem graça, sem saber o que dizer. Imediatamente lembrou-se da Parábola do Semeador, que um dia ouviu. Entendeu que seu coração ainda era como o solo dominado pelos espinhos do egoísmo. Percebeu então que, para a semente da compreensão brotar, devia trabalhar muito, todos os dias, vigiando através da prece.
- É, Kiko, é mais fácil falar do que fazer – disse cuca, desapontada consigo mesma.
- Tudo bem, cuca, o importante é não desistir nunca. Vamos fazer nossas preces e vigiar sempre.

Tânia Amaral
Quinto momento: Atividade escrita.
Prece Final

Fonte de pesquisa:
Mateus – Cap. 13: 1,9; Parábolas que Jesus contou - Antonio Matte Noroefé; Brincando e Aprendendo o Espiritismo – vol. 4.
*Gravuras do site Vera Stefanello

Nenhum comentário: