15 de agosto de 2009

História - "A voz da consciencia" - Um dia na vida do menino Pedrinho

HISTÓRIA COM INTERFERÊNCIA


UM DIA NA VIDA DO MENINO PEDRINHO

Era uma vez um menino chamado Pedrinho, que freqüentava regularmente a Escola Espírita de Evangelização do Centro Espírita onde seus pais participavam ativamente.
Nos seus quase dez anos, era ativo e estudioso, levado e fraterno, “respondão” e afável, ao mesmo tempo.
O que Pedrinho mais admirava nas aulas de evangelização eram as explicações da evangelizadora sobre Jesus, escutando atentamente os ensinos e exemplos de nosso Mestre, como incentivo ao nosso aperfeiçoamento íntimo.
Pedrinho, no fundo de seu coração, queria evoluir espiritualmente, seguindo Jesus.

ILUSTRAÇÃO Nº 01


- Pedrinho, ô Pedrinhoooo! Levanta-se, é a quinta vez que lhe chamo!
- Ora, mamãe, não me amole, estou com sono!
- Meu filho – Falou sua mãe com amor – você está atrasado para ir à escola, você não pode perder a hora de entrar...
- E o que tem isso, falou desrespeitosamente e mal-criado. Se eu quiser não irei à aula.
- Você não pode faltar, falou sua mãe com doçura, é dia de sabatina de matemática...
- Está bem, mãezinha, sovou por isso, do contrário não iria, falou com ar “mandão”, desafiando a paciência de sua mãe.
Mal lavou o rosto e escovou os dentes, sem tomar café, e saiu correndo.
ILUSTRAÇÃO Nº 02


À porta da casa, lá estava sua mãezinha, com o dinheiro necessário para ele comprar uma merenda na padaria do Sr. José.
INTERFERÊNCIA: O evangelizador(a) perguntará às crianças:
Com a má-criação demonstrada no trato com a sua carinhosa mãe, Pedrinho, naquele momento, estava com a consciência feliz ou “pesada” de remorsos?
(deixar as crianças opinarem, dialogando com a classe)
ILUSTRAÇÃO Nº 03


Entrou como um pé-de-vento na padaria do Sr. José, e pediu um pão-doce com manteiga, que era o de sua preferência.
Recebeu o pão e estendeu o dinheiro... Entretanto, nesse exato momento, o Sr. José foi chamado ao telefone, não lhe dando oportunidade de reembolsá-lo.
Atrasado, Pedrinho foi embora sem pagar, resmungando: não quer receber, melhor para mim.
INTERFERÊNCIA: o evangelizador(a) perguntará:
Com essa atitude, Pedrinho, sem pagar o pão, ficou com a sua consciência “leve” ou “inquieta”?
(Dialogar com as crianças)
ILUSTRAÇÃO Nº 04


Durante a aula de aritmética, a consciência de Pedrinho, vez por outra, lembrava-lhe que deveria ter pagado o pão-doce, além de acusá-lo pelo maltrato para com a sua carinhosa mãe.
Talvez por isso, quando foi chamado por sua delicada mestra para ir ao quadro-de-giz, respondeu irritado que não estava com vontade de fazer nenhuma demonstração para a classe.
Compreensiva, a professora ficou calma, aguardando oportunidade para se entender com Pedrinho.
ILUSTRAÇÃO Nº 05


No final da aula, quando a mestra marcou problemas para serem resolvidos em casa, para toda a classe, sobrecarregou Pedrinho com mais cinco problemas, a fim de compensar os que ele não quis fazer no quadro.
Todos saíram, mas Pedrinho ficou sentado na sua carteira.
Enquanto a bondosa professora dava os últimos retoques na sua volumosa pasta, Pedrinho foi chegando de mansinho e falou:
- A senhora pode me perdoar? Eu hoje acordei muito atabalhoado!
- Como não, Pedrinho! Você está desculpado, não se preocupe, disse a bondosa mestra, abraçando-o com sincera afeição.
INTERFERÊNCIA
Temos dois momentos distintos na consciência de Pedrinho! Vocês não acharam?
- Quando se recusou a ir ao quadro-de-giz, como o seu pensamento interior estava? (dialogar).
Por outro lado, arrependeu-se e pediu perdão à mestra, não foi assim?
Como estava a consciência do Pedrinho nas duas situações? (dialogar).
ILUSTRAÇÃO Nº 06 – novamente na padaria.

Assim que saiu da Escola, Pedrinho lembrou-se, imediatamente, do ocorrido na padaria e procurou o Sr. José, explicando-lhe porque não pagou o pão-doce que adquiriu dele mesmo, pela manhã. Por isso, Sr. José, agora venho pagar-lhe.
O padeiro, muito admirado do gesto corajoso e honesto do Pedrinho, recebeu o dinheiro, mas, antes de lhe dar o troco, deu a volta no balcão para ir abraçar e cumprimentar o Pedrinho pela atitude honesta.
INTERFERÊNCIA
Diante da atitude honesta e corajosa de Pedrinho, confessando-se devedor e se apresentando, espontaneamente, para pagar o pão, como estava a sua consciência? Em que situação? Tranqüila, aliviado, como? (dialogar).
ILUSTRAÇÃO Nº 07 – De volta ao lar:


Radiante de alegria, Pedrinho entrou em sua, sentindo ainda as vibrações de fraternidade iluminada dos dois abraços recebidos de sua mestra e do Sr. José, quando reparou os desacertos para com essas duas criaturas.
Por isso, se sentia feliz, como que abençoado por dentro.
Nesse estado de espírito, procurou sua mãe e lhe contou os sucessos do dia, sem omitir nada, num relato amplo, honesto e simples.
Foi o que bastou para receber os cumprimentos afetuosos de sua querida mãe, através de um abraço carinhoso, de quem sente que o filho está aceitando e praticando, como pode os ensinos de Jesus, com o objetivo de se aperfeiçoar espiritualmente.
ILUSTRAÇÃO Nº 08 – Abraçado à sua mãezinha:



Carinhosamente, Pedrinho, ainda abraçado à sua mãe, falou-lhe: Mãe, desculpe-me pelo que lhe fiz de manhã, ferindo-a com as minhas palavras...
- Como perdoar ou desculpar, meu filho, se não me sinto, nem nunca me senti ferida por você?!
Beijando-a feliz, Pedrinho lhe falou:
- Mãe, vou começar a fazer os meus deveres escolares, tenho dobrados problemas de matemática para resolver...
INTERFERÊNCIA:
Crianças, com a consciência lavada e iluminada, Pedrinho terminou o seu dia em qual situação espiritual? (dialogar).
FIM
*Conteúdo retirado da apostila AME ciclo B

Nenhum comentário: