23 de janeiro de 2011

Aula - O Consolador

PLANO DE AULA

O Consolador

Objetivos da aula: conscientizar os evangelizandos de que O Espiritismo encerra todas as condições do Consolador que Jesus prometeu. Não é uma doutrina individual, nem de concepção humana; ninguém pode dizer-se seu criador.
É fruto do ensino coletivo dos Espíritos superiores, ensino a que preside o Espírito de Verdade e que assim como o Cristo disse: “Não vim destruir a lei, porém cumpri-la, também o Espiritismo diz: “Não venho destruir a lei cristã, mas dar-lhe execução” e para isso devemos vivenciá-lo em nosso dia-a-dia para nos tornarmos pessoas melhores, ou seja, mais evoluídos.

Prece inicial
Primeiro momento: questionar, aguardar as respostas. Deixar em aberto, para mais tarde (quinto momento), complementar as respostas.
Definam a palavra "CONSOLADOR". Aquele que consola, anima, conforta, dá esperança. Quem é o Consolador prometido por Jesus? O Espiritismo.
O que já sabem sobre o Espiritismo? Foi ditado por diversos Espíritos e codificado (organizado) por Allan Kardec, que fez perguntas e organizou as respostas em cinco obras.
Quais são essas obras? O Livro dos Espíritos, O Livros dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno, e A Gênese.
Por que motivo o Espiritismo se apresenta como o Consolador prometido por Jesus? A revelação cristã sucedeu à revelação mosaica, e a revelação dos Espíritos veio completá-la. O Espiritismo é, segundo afirmam os Espíritos superiores, o Consolador prometido pelo Cristo. E ele, de fato, preenche integralmente as condições mencionadas na promessa do Cristo, visto que:
1º - procura lembrar-nos o que Jesus ensinou;
2º - ensina-nos muitas coisas que o Evangelho não pôde explicar adequadamente;
3º - consola e conforta os que sofrem ao mostrar-lhes a causa e a finalidade dos sofrimentos humanos.
* Proporcionar um momento para diálogo sobre os questionamentos em pauta, salientando que:
O Espiritismo é a Terceira Revelação: O Consolador Prometido por Jesus.
"Se vós me amais, guardai meus mandamentos; e eu pedirei a meu Pai, e ele vos enviará um outro Consolador, a fim de que permaneça eternamente convosco: - O Espírito de Verdade que o mundo não pode receber, porque não o vê e não o conhece. Mas quanto a vós, vós o conhecereis porque permanecerá convosco e estará em vós. Mas o consolador, que é o Santo-Espírito, que meu Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará relembrar de tudo aquilo que eu vos tenha dito." Jesus (João,cap. XIV. V.15, 16,17,26) *O Evangelho Segundo o Espiritismo*
Referindo-se ao Consolador que o Pai enviaria em seu nome, Jesus disse que ele teria a finalidade de ensinar novas coisas, que ele não pôde ensinar àquele tempo, por falta de evolução das criaturas.
Deveria, também, o Consolador relembrar os seus ensinamentos. Com essas palavras, Jesus proclamava a necessidade da REENCARNAÇÃO para que os homens se preparassem devidamente, a fim de receberem esses novos ensinamentos. Assim, nós mesmos e muitos outros Espíritos, somos os mesmos homens daquela época, reencarnados, aproveitando o progresso social, com a inteligência mais desenvolvida, possibilitando-nos compreender o que o Espiritismo ensina.
Dessa forma, o Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba de onde vem, para onde vai e por que está na Terra. O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos das pessoas, porque fala sem figuras ocultas, nem alegorias, esclarecendo com lógica e bom senso.
"O Espiritismo é a ciência nova que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo." Allan Kardec - O Evangelho Segundo o Espiritismo.
"O Espiritismo é a chave com o auxílio da qual tudo se explica de modo fácil." Allan Kardec - O Evangelho Segundo o Espiritismo.
"O Espiritismo tem por princípio as relações do mundo material com os Espíritos ou seres do mundo invisível." Allan Kardec - O Livro dos Espíritos.

Segundo momento - exposição dialogada:
Os Três Aspectos da Doutrina Espírita são: Religião - Filosofia - Ciência.

Características da Doutrina Espírita:
• É revelação divina e obra de cooperação dos Espíritos encarnados e desencarnados.
• Impessoal: não é fruto da revelação de um só Espírito e nem trabalho de um só homem.
• Complementar: complementa as duas primeiras revelações.
• Progressiva: ela jamais dirá a última palavra.

Os princípios da Doutrina Espírita são:
• Deus é o Criador;
• Espírito e Matéria são os elementos da Criação;
• Existência dos Espíritos;
• Imortalidade da Alma;
• Comunicação entre o Plano Material e o Plano Espiritual;
• Reencarnação;
• Evolução moral e intelectual dos Espíritos;
• Lei de Causa e Efeito.

Obras Básicas da Doutrina Espírita:
• O Livro dos Espíritos, publicado em 1857;
• O Livro dos Médiuns, publicado em 1861;
• O Evangelho Segundo o Espiritismo, publicado em 1864;
• O Céu e o Inferno, publicado em 1865 e
• A Gênese, publicado em 1868.

O que a Doutrina Espírita nos esclarece:
• Quem somos?
• Antes de nascer, o que éramos?
• Depois da morte física, o que seremos?
• Por que estamos neste mundo?
• Por que algumas pessoas sofrem mais que outras?
• Por que a riqueza e a pobreza?
• Por que a saúde e a doença?
• De onde vêm as nossas tendências, boas ou más?
• Por que os vícios?
• De onde viemos, por que estamos aqui e para onde vamos?

Obs.: o evangelizador poderá fazer os questionamentos acima e ir elucidando um a um, sempre buscando participação dos evangelizandos, fazendo com que eles busquem as respostas de acordo com seus conhecimentos de aulas passadas, proporcionando assim um diálogo em grupo.
Os termos Espírita e Espiritismo foram criados por Allan Kardec.
Espírita é o nome dado aos adeptos do Espiritismo ou Doutrina Espírita.

Terceiro momento: propor a leitura em grupo do texto Jesus e Allan Kardec, sugerindo que cada evangelizando, após a leitura, faça uma análise do que leu. O evangelizador devera auxiliar, caso haja necessidade.

Obs.: perguntar aos evangelizandos se já viram homens trabalhando na rede elétrica da cidade, pegando nos fios que, necessariamente, deverão estar desligados. Por certo responderão afirmativamente. A seguir, perguntar se o trabalho deles seria possível se não acreditassem nas pessoas encarregadas de ligar e desligar a força. Em seguida, chamar a atenção para o fato de todos termos confiança, pois acreditamos no motorista do ônibus, do táxi, no piloto do avião, no médico que nos opera, no cozinheiro do restaurante. Confiamos porque sabemos que são pessoas preparadas para essas funções. Depois mostrar-lhes que a nossa confiança, nossa crença vai aumentando, à medida que vamos compreendendo as coisas. Finalmente, levar as crianças a concluírem que ninguém vive sem crer e que crença é fé.

Tão extremamente identificado com o Mestre Divino surge o Apóstolo da Codificação, que os augustos mensageiros, que lhe supervisionaram a obra, foram positivos nesta síntese que recolhemos da resposta à pergunta número 627, em "O Livro dos Espíritos":

- "Estamos incumbidos de preparar o Reino do Bem que Jesus anunciou." (Mensagem recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, Espírito Emmanuel)

Quarto momento: fazer a leitura da questão nº 627 de O Livro dos Espíritos e em seguida fazer uma análise da sua resposta juntamente com os evangelizandos.

Quinto momento: fazer algumas das perguntas do primeiro momento novamente.

Sexto momento: distribuir uma ou mais das sugestões de atividades abaixo e após fazer a correção em conjunto com os evangelizandos

Prece de encerramento
* * *

Os Três Aspectos da Doutrina Espírita

Religião: compreende as consequências morais decorrentes de tais ensinamentos, objetivando o "reencontro" do homem com Deus. Estabelece, como princípio maior da religião, que "Fora da Caridade não há salvação".

Filosofia: ensina noções mais aprofundadas a respeito de Deus, do Universo, dos homens, dos Espíritos e das Leis que regem a vida. Ensina, ainda, o que somos, de onde viemos, para onde vamos, qual o objetivo de nossa existência e qual a razão da dor e do sofrimento. Resume todos estes pontos na frase: "Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei." (Esta frase é atribuída a Allan Kardec).

Ciência: estuda os fenômenos mediúnicos e as relações que se podem estabelecer com os Espíritos. Ensina que "A fé sólida é aquela que pode encarar a razão face a face."

Jesus e Allan Kardec

Ante a Revelação Divina, assevera Jesus: - "Eu não vim destruir a Lei."
E reafirma Allan Kardec: - "Também o Espiritismo diz: - não venho destruir a lei cristã, mas dar-lhe execução."
Perante a grandeza da vida, exclama o Divino Mestre: - "Há muitas moradas na casa de meu Pai."
E Allan Kardec acentua: - "A casa do Pai é o Universo. As diferentes moradas são os mundos que circulam no espaço infinito e oferecem aos Espíritos, que neles reencarnam, moradas correspondentes ao adiantamento que lhes é próprio."
Exalçando a lei de amor que rege o destino de todas as criaturas, advertiu-nos o Senhor:
- "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei."
E Allan Kardec proclama: - "Fora da caridade não há salvação."
Destacando a necessidade de progresso para o conhecimento e para a virtude, recomenda o Cristo: - "Não oculteis a candeia sob o alqueire."
E Allan Kardec acrescenta: - "Para ser proveitosa, tem a fé que ser ativa; não deve entorpecer-se."
Enaltecendo o imperativo do esforço próprio, sentencia o Senhor: - "Buscai e achareis."
E Allan Kardec dispõe: - "Ajuda a ti mesmo que o Céu te ajudará."
Salientando o impositivo da educação, disse o Excelso Orientador: - "Sede perfeitos como é perfeito vosso Pai Celestial."
E Allan Kardec adiciona: - "Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más."
Enaltecendo o espírito de serviço, notificou o eterno amigo: - "Meu Pai trabalha até hoje e eu trabalho também."
E Allan Kardec confirma: - "Se Deus houvesse isentado o homem do trabalho corpóreo, seus membros ter-se-iam atrofiado, e, se houvesse isentado do trabalho da inteligência, seu Espírito teria permanecido na infância, no estado de instinto animal."
Louvando a responsabilidade, ponderou o senhor: - "Muito se pedirá a quem muito recebeu."
E Allan Kardec conclui: - "Aos espíritas muito será pedido, porque muito hão recebido."
Exaltando a filosofia da evolução, através das existências numerosas que nos aperfeiçoam o ser, na reencarnação necessária, esclarece o Instrutor sublime: - "Ninguém poderá ver o Reino de Deus se não nascer de novo."
E Allan Kardec conclama: - "Nascer, viver, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei."
Consagrando a elevada missão da verdadeira ciência, avisa o Mestre dos mestres: - "Conhecereis a verdade e a verdade vos fará livres."
E Allan Kardec enuncia: - "Fé inabalável só aquela que pode encarar a razão face a face."

Um comentário:

CAK disse...

Excelente material.
Obrigado por compartilhar