30 de novembro de 2011

Em Torno da Prece

No Templo do Socorro, o Ministro Clarêncio comentava a importância

da prece, e nós o ouvíamos com a maior atenção.

— Todo desejo — dizia — é fonte de poder. A árvore que cresce fabricando o fruto é um ser que quis multiplicar-se.

— Mas todo pedido precisa de alguém que escute - disse um dos companheiros. — Quem teria respondido aos pedidos desta árvore?

O orientador respondeu tranqüilo:

— A Lei de Deus manifesta-se em tudo e em todos, através dos trabalhadores no bem. No caso da árvore, o Sol a sustentou, dando-lhe recursos para alcançar os objetivos que queria atingir.

E continuou:

— Em nome de Deus, as criaturas atendem às criaturas. Assim como na eletricidade existem os transformadores de energia para o aproveitamento da força, temos também, em todo o universo, os transformadores da bênção, do socorro, e do esclarecimento.

As correntes centrais da vida partem de Deus e descem ate nós de maneira infinita. Da luz suprema à treva total, temos o fluxo do sopro de Deus, através de milhões de espíritos do bem que modificam a energia divina no lugar em que se encontram. Cada degrau da vida está lotado de milhões de criaturas espirituais.

O caminho da evolução espiritual é muito longo!

A prece, qualquer que ela seja, é uma ação que provoca uma a reação! Conforme a natureza da prece, ela fica parada onde foi feita ou eleva-se mais, ou menos, recebendo a resposta imediata ou demorada, dependendo do que foi pedido.

Desejos bobos podem ser atendidos por espíritos inferiores!



Desejos mais nobres são respondidos pelos espíritos mais evoluídos.

— Cada prece então se caracteriza pela sua FORÇA, e nos estamos cercados por espíritos capazes de ouvir nossos pedidos, como uma central receptora!

A humanidade está em todo o universo. Cada espírito, quando vai se aperfeiçoando, vai se harmonizando com Deus e com a LEI DIVINA!

Quanto mais se eleva, maior é seu poder de ajudar a humanidade

respondendo aos seus pedidos em nome de Deus, que nos criou a todos para o Infinito Amor e para a Infinita Sabedoria...

O irmão Hilário perguntou:

—E quando a pessoa quer fazer o mal?- E Clarencio respondeu:

— Quando alguém tem o desejo de fazer o mal está chamando

forças inferiores e atraindo forças do mal, e se responsabilizará por isso.

Através dos desejos infelizes de nossa alma, muitas vezes descemos às

vibrações do ódio ou do vício e, assim, é fácil cairmos no poço da maldade, que está ligado a espíritos inferiores.

Todos os nossos desejos movimentam energias para o bem ou

para o mal. Por isso mesmo, a direção deles é da nossa responsabilidade.

Analisemos com cuidado a nossa escolha, em qualquer problema ou situação do caminho que devemos percorrer, porque o nosso pensamento voará, atraindo e formando a resposta que desejamos.

Em qualquer época, a vida responde de acordo com os nossos pedidos Seremos devedores da vida pelo que tivermos recebido.

— Estejamos certos, porém, de que o mal é sempre um círculo fechado. Os espíritos que estão dentro deste círculo podem demorar muito ou pouco a descobrirem o caminho do bem, dependendo da sua vontade (livre-arbítrio) de agir fazendo o bem ou fazendo o mal.

O mal reage sobre aqueles que o praticam, ajudando-os a entender a

importância e a imortalidade do bem, que é o fundamento da Lei de DEUS.

Todos somos donos de nossas criações e, ao mesmo tempo, somos

escravos delas. Pedimos e recebemos, mas pagaremos por tudo que pedirmos. A responsabilidade é um principio divino e ninguém poderá fugir dela.

Adaptado do livro “Entre a Terra e o Céu” – André Luiz – Psicografado por Chico Xavier.


Um comentário:

Mila na Educação disse...

Tenho visitado muito seu blog e estou amando. Parabéns!!!