17 de novembro de 2012

Aula - Família - Indissolubilidade do casamento


EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO, Cap. 22 – NÃO SEPAREIS O QUE DEUS UNIU                       

TEMA: INDISSOLUBILIDADE DO CASAMENTO - FAMÍLIA

SUBTEMA: O DIVÓRCIO

Objetivo:
- Levar o evangelizando a compreender que a Lei do Amor deve estar presente em todos os relacionamentos, inclusive no casamento.
-Compreender que viver a Lei do Amor no casamento é criar laços de alma.
-Conscientizar o evangelizando a entender que se referindo a casamento, a Lei Humana não é contrária a Lei de Deus, pois enquanto a Lei Humana é mutável, a Divina não.
- Entender que onde existe e impera a Lei do Amor não há separação, pois o amor é o elo que une a Deus e aos homens.

Bibliografia: O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. 22; O Evangelho Segundo o Espiritismo para a Infância, Maria Helena Fernandes Leite; Educação Emocional e Intuitiva, Rita Foelker.

Primeiro momento:  DINÂMICA - DESCOBRINDO A FRASE

1. Providenciar as palavras de uma frase em tamanho grande. Recortar cada palavra separadamente. As palavras devem ser escondidas pelo espaço da sala.
2. A turma se unirá para descobrir a frase.
3. Os evangelizando dialogam pra compreenderem e explicar a frase.

FRASE: “A Lei do Amor deve estar presente em TODOS OS RELACIONAMENTOS.”

Segundo momento: Dialogar
Todos vocês amam alguém, certo? E o que é o amor?
* Deixar que manifestem suas opiniões. É difícil definir um sentimento tão grandioso com poucas palavras. Podemos dizer que o amor é um conjunto de bons sentimentos, um querer bem, um afeto real e grande, um desejo de servir e fazer o bem.
O amor se manifesta de uma forma apenas? Só existe aquele amor romântico que aparece nas histórias e novelas?
* Após ouvi-los, comentar que há muitas formas de amor. Existe o amor de Deus por todos nós. O universo todo é uma prova de amor do criador pelas suas criaturas.
Há também o amor de Jesus por todos nós. Foi por amor que o Mestre veio nos ensinar a amar, perdoar, ser caridosos, dar valor aos bens do espírito, não julgarmos... O amor do Cristo pela humanidade é tão grande, que ele está conosco desde a formação do planeta e permanecerá dirigindo esse globo até que todos nós evoluamos.
Existe também o amor maternal, o paternal, o fraterno, o romântico, o amor a uma causa, aos animais, à natureza... Há também, é claro, o amor a Deus, a Jesus e aos bons espíritos.

Terceiro momento: DINAMICA – A PALAVRA CHAVE
Material: Cartões corações colorido para cada evangelizando. Cada um deles contém uma palavra que se relacione com o trabalho que o grupo vai desenvolver, como por exemplo: FAMILIA, UNIÃO, DIVÓRCIO, CASAMENTO, CONVIVÊNCIA EM FAMÍLIA, “Não separar o que Deus uniu”, etc.

3- Desenvolvimento:
- formar pares ou individualmente;
- entregar o material de trabalho;
- Explicar a maneira de executar a dinâmica. O evangelizando vai ler o  cartão que contem a palavra, dar um tempo para que reflitam sobre o significado que atribui à palavra.
- A seguir, a dupla ou o evangelizando com sua palavra-chave formará uma frase alusiva a ela (frase que sintetize o significado da palavra).
- Apresentação da dupla, dizendo qual sua palavra-chave escolhida e, seu significado, e a frase que redigiram.

5- Avaliação:
- Para que serviu o exercício? Para  exercitar a prática do trabalho em equipe. Para estimular a reflexão em conjunto, sobre temas que contenham ensinamento moral, ou que se relacione com o trabalho que o grupo vem desenvolvendo.

Quarto momento: Exposição dialogada do tema da aula durante a dinâmica.
De acordo com o Evangelho, Deus nos dá oportunidades de conviver em família sanguínea e espiritual, conviver com muitas pessoas para que possamos acertar desentendimentos que trazemos de outras vidas.
Serão corretos, perante Deus, os que se casam e se separam?
Deus gostaria que todos nós aprendêssemos a viver juntos com amor, respeito e compreensão. Mas, nem sempre isso acontece. Algumas vezes, as pessoas não conseguem se perdoar, e aceitar o outro, então acabam brigando e se separando. Por vezes amizades bonitas se desfazem por que se desentendem por orgulho, egoísmo ou vaidade.
Ele quer nossa união, que nos tornemos amigos e irmãos uns dos outros nos ajudem, auxiliemos e vivamos em paz, harmonia e entendimento.
Mas, não é sempre que isso acontece, não é?
Outras vezes são os pais que se separam, divorciam-se, separando também os irmãos. Nos casos em que os desentendimentos dos pais provocam situações graves como agressões morais e até físicas, em que ambos se prejudicam e prejudicam os filhos, é melhor assim que se separem, mas segundo a lei resgataram um com outro ainda.
O divorcio é uma lei humana que tem por finalidade separar legalmente o que está separado de fato. Não é, pois contrário à lei de Deus. O próprio Jesus afirmou que o casamento não tem que ser indissolúvel se os dois não se entendem. A lei divina é a lei de amor.
Sobre outros pontos de vistas existe o divórcio não só no casamento, há também entre irmãos, amigos, mães, pais e filhos.
As pessoas que estão reunidas numa família vieram com compromissos uns com as outras, sejam pai, mãe, irmãos, primos ou avós. Mesmo acontece na escola, com  amigos, colegas de escola, professores e alunos, colegas de trabalho e aqui no centro espírita, se estamos reunidos é porque precisamos estar juntos e não estamos unidos pelo acaso.Estamos no lugar certo e com as pessoas certas para aprendermos amar, tolerar e resgatar, se Deus nos uniu devemos aceitar essa vontade sábia e viver do melhor jeito possível fazendo o bem.
A convivência entre as pessoas e a família nem sempre é fácil, pois não temos as conquistas do perdão, indulgência, paciência, etc.
De certa feita no lar, existem problemas financeiros, coisas do dia-a-dia, que preocupam os membros da família. Um dia, é a mamãe que está contrariada por estar sobrecarregada de serviço, outro dia, é o papai que chega aborrecido do emprego. Outro dia são os irmãos que se desentendem. Mas quando há amor, tudo isso pode mudar?
No lar, é preciso que todos tenham paciência, compreensão, carinho e, quando há amor, tudo vai se harmonizando. O amor cobre a multidão de pecados, disse-nos Jesus, equilibra nosso mundo interno e o exterior.
Quando Jesus ensinou no evangelho “Não separeis o que Deus uniu”, vale para os irmãos de um mesmo lar, mas também para Pais, Esposos e Filhos, amigos, colegas de escola, colegas de trabalho.
A família sanguínea e espiritual deve permanecer unida. Os irmãos devem querer-se bem e respeitar os demais familiares, avós, tios, primos sobrinhos, e os amigos devem ser companheiros, se ajudarem, compreenderem, respeitarem, porque não devemos nos separar por causa de discórdias e intolerância. Brigar, ficar inimigos é a separação que Jesus citou, Deus quer que amemos uns aos outros.
Se nos reuniu no ambiente que estamos que permaneçamo-nos com paciência e resignação sendo bons irmãos de caminhada.  
Quando existe AMOR há UNIÃO. Onde existe e impera a Lei do Amor não há separação, pois o amor é o elo que une os homens a Deus.
Há sentimentos que nos unem outros nos separam. Somos unidos quando somos pacientes, compreensivos, cooperativos, humildes, caridosos, indulgentes, fraternais, sabendo desculpar as faltas dos outros.
Estamos separados ou separando quando somos impacientes, irritados, agressivos, egoístas, invejosos, não perdoando as falhas dos outros.

Quinto momento: Maquete 3D - confecção de maquete da família.

Clique aqui para ver as maquetes disponíveis: http://evangelizacao-infantil.blogspot.com.br/2012/11/maquetes-para-atividades.html


Prece Final



CARTÃO CORAÇÃO - Palavras chaves que serão usadas na dinâmica: FAMÍLIA, UNIÃO, DIVÓRCIO, CONVIVÊNCIA EM FAMÍLIA, “Não separar o que Deus uniu”, SENTIMENTOS QUE NOS UNEM; SENTIMENTOS QUE NOS SEPARAM.

Nenhum comentário: