3 de novembro de 2013

Aula - Buscai e Achareis

Buscai e achareis

O Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 25 – BUSCAI E ACHAREIS

Objetivos:
- Estimular a fé na vida, a fé em si mesmo, a fé e confiança na Providência Divina.
- Refletir sobre a Lei do progresso, necessário, portanto, nosso esforço próprio para evoluirmos junto à certeza que Deus nunca abandona a nenhum de seus filhos – “Ajuda-te a ti mesmo, que o céu te ajudará”. 
- Sensibilizar os evangelizando que Deus conhece nossas necessidades e a elas provê como for necessário – “Observai os pássaros do céu".
- Estimular os sentimentos da caridade, generosidade e da fraternidade, pois estando vivas no coração, isenta-nos de muitos males principalmente advindos do egoísmo. 

Bibliografia: Evang. Seg. Espiritismo cap. 27; Livro dos Espíritos - 3ª parte, capítulos 3 e 8; Evangelho Segundo o Espiritismo para Infância de Maria Helena Fernandes Leite, Conteúdo Programático da UEM.

PRIMEIRO MOMENTO: DINÂMICA INICIAL
Sentados em roda, motivar os alunos para a brincadeira. A professora diz: "Estou pensando em alguém que faz pão". Os alunos tentam adivinhar e dizer o nome da profissão. Quando alguém acertar, a professora deve escrever na lousa/quadro o nome da profissão, em letra de imprensa maiúscula.
O jogo continua, com o aluno seguinte, na roda.
Sugestões:
Apaga o fogo; vende jornal; trabalha na feira; pinta casas; conserta sapatos; cuida dos doentes;
Faz comida; ensina crianças etc.

SEGUNDO MOMENTO: Jesus disse essa frase-ensinamento: “Buscai e Achareis”, mas que queria dizer com essa frase? Buscar a riqueza? Se desejarmos buscar algo, devemos nos esforçar, e todo esforço é trabalho; trabalhando desenvolvemos habilidades, mas devemos ter cuidado e buscar coisas que nos fazem crescer e aos outros.
Do ponto de vista terreno, a máxima: ‘Buscai e achareis’ é análoga a esta outra:’ Ajuda-te a ti mesmo, que o céu te ajudará’.
É o princípio da lei do trabalho e, por conseguinte, da lei do progresso, porquanto o progresso é filho do trabalho, visto que este põe em ação as forças da inteligência.
Quando Deus criou o nosso planeta Terra, criou também espíritos para viverem no planeta. Aquelas pessoas não eram iguais a nós como somos agora. Os homens eram rudes. Sua inteligência era tão pequenina que usavam apenas para buscar alimentos e arranjar um lugar para se esconder do frio, da chuva e do perigo, eram as cavernas.
Os primeiros homens que habitaram a Terra não eram maus, apenas não haviam desenvolvido os sentimentos, não sabiam chorar nem sorrir, não sentiam afeto, amor como os homens de hoje que já são bem diferentes. Choramos quando estamos tristes, rimos quando achamos graça em alguma coisa, sentimos raiva e amor. O homem evoluiu muito nesse sentido, e continuará até chegar a conquista das duas asas – amor e sabedoria, a pureza pelas portas da reencarnação. Esses mesmos homens, os homens das cavernas são os homens de hoje evoluídos segundo a lei da reencarnação.
Mas nos homens da caverna havia algo mais do que no animal, e é o desejo incessante do melhor, e é esse desejo que o impele à pesquisa dos meios de melhorar a sua posição, que o leva às descobertas, às invenções, ao aperfeiçoamento da Ciência.
O que fez as pessoas evoluírem? O trabalho. Deus deu ao homem o trabalho para evoluir e Jesus disse: - "Esforça-te que o céu te ajudará". Se Deus não tivesse dado ao homem o trabalho físico, seus membros seriam atrofiados e sem trabalho intelectual, isto é, o estudo, seu espírito permaneceria na infância.
E o esforço nos faz também adquirir bens materiais? Sim, muitos acumulam bens materiais com o trabalho.
Porém, não devemos nos cansar para entesourar riquezas materiais.
A respeito disso Jesus disse assim: “Vejam as aves do céu. Elas não acumulam alimento, porque cada dia vão em busca do que comer e Deus provê. Assim deve ser o homem.” Mas muitos não se contentam com o que têm e querem mais e mais, e acabam com medo de tudo.
Podemos pedir a Deus, Jesus e aos bons espíritos ajuda em nossas necessidades materiais, mas que seja pedindo inspiração, pedindo forças, saúde e disposição para alcançar nosso objetivo.
Portanto, não nos preocupemos em pedir e acumular riquezas materiais, mas peçamos a Deus e entesouremos riquezas espirituais como: paciência, bondade, tolerância, coragem e caridade para com o próximo. Esse tesouro ninguém rouba, porque está na alma. Os supérfluos nos trazem tristezas. É que ensina Jesus quando dizia: Buscai, pois, primeiramente, O REINO DE DEUS E A SUA JUSTIÇA e todas as coisas se vos acrescentarão. E assim não andeis inquietos pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã a si mesmo traz o seu cuidado. Ao dia basta a sua própria aflição."
Pelas pesquisas, a inteligência do homem engrandece e o moral se lhe depura. As necessidades do corpo sucedem as do espírito: depois do alimento material, precisa ele do alimento espiritual. E assim que o homem passa da selvageria à civilização.
Se Deus houvesse isentado do trabalho do corpo o homem, seus membros se teriam atrofiado; se o houvesse isentado do trabalho da inteligência, seu espírito teria permanecido na infância, no estado de instinto animal.
Por isso é que lhe fez do trabalho uma necessidade e lhe disse: Procura e acharás; trabalha e produzirás. Dessa maneira será filho das tuas obras, terás delas o mérito e serás recompensado de acordo com o que hajas feito.
Em virtude desse princípio é que os Espíritos não poupam o homem ao trabalho das pesquisas, trazendo-lhe, já feitas e prontas a ser utilizadas, descobertas e invenções, de modo a não ter ele mais do que tomar o que lhe ponham nas mãos, sem o incômodo, sequer, de abaixar-se para apanhar, nem mesmo o de pensar.
Se assim fosse, o mais preguiçoso poderia enriquecer-se e o mais ignorante tornar-se sábio à custa de nada e ambos se atribuírem o mérito do que não fizeram.
Não, os Espíritos não vêm isentar o homem da lei do trabalho: vêm unicamente mostrar-lhe a meta que lhe cumpre atingir e o caminho que a ela conduz, dizendo-lhe:
- Anda e chegarás. Toparás com pedras; olha e afasta-as tu mesmo. Nós te daremos a força necessária, se a quiseres empregar. (O Livro dos Médiuns, 2ª Parte, cap. XXVI, nº 291 e seguintes.)
Do ponto de vista moral, essas palavras de Jesus significam: Pedi à luz que clareie o seu caminho e ela te será dada; pedi forças para resistir ao mal e as terei; pedi a assistência dos bons Espíritos e eles virão te guiar e orientar; pedi bons conselhos e eles não te serão jamais recusados; batei à nossa porta e ela será aberta; mas, pedi sinceramente, com fé, confiança e fervor; peça com humildade e não com arrogância, assim será abandonados às suas próprias forças e as suas quedas serão o castigo do seu orgulho.
Este é o sentido das palavras: buscai e achareis; batei e abrir-se-vos-á.








TERCEIRO MOMENTO: O nosso crescimento ou evolução depende de nós e do nosso próprio esforço em vencer as dificuldades. Trabalhar é desenvolver-se é crescer todo dia um pouco. Como o homem estaria se não houvesse trabalhado, investigando, nos dias de hoje? Não haveria de certo as descobertas científicas, a tecnologia do dia de hoje, e essa tecnologia significa: PROGRESSSO INTELECTUAL.

Fixação: painel na lousa
1) Colocar um grupo 
imagens, mostrando animais como João de barro construindo sua casa, castor construindo, a formiga, etc., a semente brotando no solo Natureza, etc.

Explicar que tudo na natureza trabalha como os animais, mas o trabalho deles é de acordo com sua inteligência, se limitam a cuidarem da própria conservação. Eles são executores dos desígnios do Criador, realizando um papel na natureza.

2) Colocar um grupo de imagens, mostrando aqueles que não querem trabalhar, eles próprios se marginalizando. O futuro espiritual da Terra, o nosso futuro depende de nós e do nosso próprio esforço em vencer as dificuldades, Deus ajuda a todos.

Explicar os que não procuram estudar e trabalhar, pouco se desenvolve. E quando Jesus disse essas palavras: Buscareis e Achareis dizia que era necessário fazer nossa parte, esforçar, pois apenas aqueles que buscam, encontram, os que trabalham, recebem. É parte das leis de Deus.

3) Recurso Didático: colocar na lousa bonecos de papel, cada um simbolizando uma profissão, de maneira a retratar as suas interdependências.
Ex: o médico depende do lavrador, o lavrador do dentista, este do lixeiro e assim por diante.
Introdução: Perguntas:
Qual a profissão do seu pai?
O que você pretende ser?
Falar da desigualdade entre as profissões. Quem cria é o próprio homem, por causa do orgulho e do egoísmo.

Usar Recursos Didáticos: Cartazes de pessoas trabalhando
Podemos viver e nos desenvolver à medida que nos e esforçamos, mas praticando dois tipos de trabalhos:
×         No trabalho material
×         No trabalho Espiritual
O trabalho material nos traz dinheiro, o trabalho espiritual nos traz paz e melhoria espiritual. Citar os grandes vultos da humanidade que realizaram trabalhos de grande importância para o bem comum.
Citar ainda: Chico Xavier, Allan Kardec, Bezerra de Menezes e muitos outros que trabalham.

Só através do respeito, amor, caridade com todos é que conseguimos evoluir moralmente. Uns dependem dos outros para poderem progredir, tanto materialmente como moralmente. O quanto podemos praticar a caridade no nosso trabalho ou ainda, com o que aprendemos com a Doutrina Espírita, darmos exemplo de paciência, compreensão, amizade, fraternidade, com as pessoas com as quais convivemos.

TRABALHAR. TRABALHAR SIM, INCESSANTEMENTE, SEMPRE, POIS SÓ ASSIM VIRÁ A FELICIDADE DESEJADA.

QUARTO MOMENTO: ATIVIDADE DE ARTES – Vamos trabalhar!





“A construção de uma casa
 e a 
alegria de vê-la pronta”





1.      Distribuir uma folha A4 60kg (dura) com o desenho de uma casa imprimida e já recortada;
2.      Recortes de E.V.A (emborrachado) ou folha A4 60 kg (resistente) colorida com a forma de tijolinhos.
3.      Recorte retângulo de folha micro-ondulada, que será o telhado da casa;
4.       As crianças irão montar e revestir com os tijolinhos as paredes da maquete da casa, construindo-a, fazendo janelas e portas  com o E.V.A.
Imprimir a maquete da casa, recortar e colar.

ENCERRAMENTO COM A PRECE FINAL

6 comentários:

Mikeilla Rodrigues disse...

Simone:
Sou do RJ e evangelizo no Centro Espírita Luz e Verdade desde 2010 e desde 2011 acesso seu blog em busca de idéias boas para complementar minhas "aulinhas", com dinâmicas e histórias para as crianças. Queria agradecer pela sua preocupação em divulgar seus planejamentos e parabenizá-la também pelo esforço em melhorar sempre!!
Mil beijinhos

Gisele Mendes disse...

Amei a aula. Uma dinâmica que as crianças adoram neste tema é: esconder algumas guloseimas e pedir a eles para procurar. (quem procura, acha!).
Parabéns pelo belo trabalho!

Talita disse...

Simone, já trabalhei com evangelização infantil e hoje,minha filha é evangelizadora, ajudo com idéias e na coordenação das salas que são três atualmente. Achei muito muito legal suas postagens,parabéns! gostei muito das sugestões , inclusive dos comentários que nos dão mais ideias. Sempre que podemos ,temos atividades ao ar livre. Na semana da criança alugamos um pula pula e foi um sucesso. ana mayeji registro-sp

ensinodecienciascomarte.blogspot.com disse...

Que o mestre continue te inspirando cada vez mais, parabéns pelo belo trabalho..

Carla Landim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla Landim disse...

Bom dia, que aula maravilhosa! Obrigada por compartilhar. Trabalho em um centro espírita inserido em uma comunidade carente e essa aula está perfeita para ser trabalhada com eles. Obrigada novamente. Bjs