6 de fevereiro de 2013

HORA DA BRINCADEIRA – OS ANIMAIS NA CLASSE


Uma forma especial de contar uma história e as crianças participarem dela, enquanto isso absorvem o tema da aula brincando.

Foi uma diversão só! Com os evangelizando da minha turminha de sete anos.

Simone


HORA DA BRINCADEIRA – OS ANIMAIS NA CLASSE

Contar a história "Que é o Espiritismo?" da seguinte maneira:

Material: Montar um cenário de floresta ou pintá-lo em tecido; máscaras de animais.
*Pintei o cenário de uma floresta em TNT.

Como aplicar:
Distribuir as máscaras de animais. Cada criança escolhe uma mascara de um animal.
O Evangelizador narra à história, que com freqüência vai ser citado o nome dos animais.
Cada vez que se pronuncie o nome do animal, o aluno que o haja escolhido tem que levantar-se e emitir o som fazer gestos que faz o seu animal, a criança deve seguir (de acordo como seu animal) o que for pedido, etc.
Por ex.: se o evangelizador disser: "coruja", o aluno que o tenha escolhido deverá imitá-lo, se disser todos os animais riem, todos devem obedecer, e assim por diante.







HISTÓRIA - QUE É O ESPIRITISMO?

Aquela era uma floresta realmente encantada, que traduzia o amor de Deus para as Suas criaturas. As flores coloridas exalavam perfume, as árvores frondosas ofereciam os frutos saborosos e sombra fresca, os animais viviam harmoniosamente.

Há poucos meses todos estavam em festa porque havia nascido mais um filhote na floresta, onde todos eram muito amigos, o leãozinho muito bonzinho que com seu jeito dócil e amável de ser, cativava a todos fazendo diversas amizades: com o URSO fortão, o PASSARINHO cantor, o PAPAGAIO falador, com o PANDA mansinho, com a RAPOSA esperta; a ZEBRA gentil e delicada, o CASTOR muito trabalhador; a GIRAFA muito elegante, o GUAXINIM curioso, o MACACO muito engraçado! E até com o TIGRE mal humorado! E logo mais, o LEÃO e seus amiguinhos conheceram a Tia Corusca a CORUJA.

A Tia Corusca a era muito estudiosa e morava no alto de uma árvore. Ali dormia durante o dia e quando o sol se escondia, logo acordava. Por volta das dezoito horas, toda a bicharada, especialmente os filhotes reuniram-se para escutar os seus ensinamentos. Ela falava e ensinava sobre tudo.

Particularmente, naquela semana, Tia Corusca explicaria sobre as religiões que existem no mundo humano. E, naquele domingo, iria falar sobre o Espiritismo.

Todos reunidos na sombra de uma árvore frondosa estavam ansiosos com a aula da professora Corusca que logo chegou com seus braços cheios de livros, cumprimentou os filhotes e começou a aula da seguinte forma:

- Tudo começou há muitos anos atrás, no século XIX, em uma terra distante, a França, na cidade de Paris. As mesas começaram a bailar nos ares e a bater no chão. Elas respondiam perguntas.

- Ká, ká, ká, ká... – começou a rir toda a bicharada. (TODOS RIEM AO MESMO TEMPO)

O LEÃO foi logo dizendo:

- Nunca vi mesa responder perguntas.

- Pois é – disse Tia Corusca – nem eu. Mas aconteceu. E o povo ficou entusiasmado com aquele acontecimento. Até que um dia, na última terça-feira de maio de 1885, um professor assim com eu, de nome Hippolyte Léon Denizard Rivail, resolveu participar daquelas reuniões e, por meio de pesquisas, descobriu que quem movimentava as mesas eram os espíritos.

- Credo – disse o TIGRE assustado – eu tenho medo de espíritos.

Não precisa ter medo. Os espíritos – explicou Tia Corusca – São aqueles que já partiram, morreram e estão num outro plano da vida.

- Ah, sim, que susto! – disse o PANDA. Achei que fossem fantasmas.

- Conte-nos mais – interrompeu o MACACO. Conte-nos, Tio Coruja, queremos saber de tudo.

Tia Corusca continuou:

- Participando desses estudos, dessas reuniões, o professor de nome difícil, começou a fazer perguntas para os espíritos, perguntas inteligentes. E, à medida que os espíritos respondiam, o professor escrevia um livro. E foi assim que, no dia 18 de abril de 1857, surgiu o primeiro livro da Doutrina Espírita ou Espiritismo – O Livro dos Espíritos. O Professor de nome difícil assumiu outro nome, um pseudônimo.

- Um pseudo o quê? – perguntou a RAPOSA.

- Um pseudônimo. Adotou um nome diferente do seu para não ser reconhecido.

- Porque que não queria ser reconhecido? – perguntou o GUAXINIM.

- Porque ele era famoso na sua cidade e queria que as pessoas lessem o livro não por causa dele, mas pelos ensinamentos ali contidos.

- Que legal! Legal! Legal!... – disse o PAPAGAIO.

- Mas, afinal, o que é o Espiritismo? – interrogou a ZEBRA.

- É uma ciência, porque estuda; é uma filosofia, porque esclarece; é uma religião, porque nos liga a Deus.

- E ele escreveu somente esse livro? – questionou o CASTOR, intrigado.

- Não, meu amiguinho. Com o auxílio dos espíritos, ele escreveu muitas obras, esclarecendo a todos os homens sobre muitas dúvidas.

- Ah, Tia Corusca – falou a GIRAFA -, é tão bom aprender sobre as religiões. Quanto nós temos aprendido!

- Sim – disse a professora CORUJA –, é muito bom conhecer. É melhor ainda colocar em prática. Os homens são convidados a vivenciar esses ensinamentos contidos nas religiões, seja qual for a que tenham abraçado e escolhido. O mais importante será o que eles fizerem de suas vidas. Porque todas as religiões levam apenas a um caminho – a Deus.

A bicharada estava em festa. Todos felizes. (TODOS OS ANIMAIS AO MESMO TEMPO GRITAM FELIZES EMITINDO Os SONS DOS BICHOS QUE ESCOLHERAM)

- Amanhã teremos mais? Gostamos de aprender sobre Deus!– perguntou o URSO.

- Sim, amanhã falaremos sobre Jesus que foi enviado por Deus. – Responde Tia Corusca.

- Nossa, que legal! – disseram todos em uma só voz. (TODOS FALAM AO MESMO TEMPO)

- Jesus! Cantou o passarinho. (O PASSARINHO BATE AS ASAS VOANDO CANTANDO JESUS)

E assim, terminada a aula, todos os filhotes voltaram a se encontrar com seus pais para que no dia seguinte pudessem novamente se reunir para a aula sobre o assunto anunciado. Sobre o Espiritismo, naquela noite, já haviam aprendido muitas coisas.

*A história foi adaptada por mim. O texto original - livro: Cada Conto é um Ponto – pelo Espírito de Mirra Alfassa, psicografado por Wellerson Santos.




Um comentário:

Isabelle Bieber disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.