18 de outubro de 2009

Aula - Autoconhecimento

PLANO DE AULA


Autoconhecimento

Objetivo: Realizar o esforço do autoconhecimento necessário à progressiva melhoria do ser ou de sua reforma intima.

Idade sugerida: 11 anos
Bibliografia: “Os três inimigos” do livro “Desperte e seja feliz” – Joana D’Angêlis; “Explicações do Mestre” do livro: Jesus no lar – cap. 3; Livro dos Espíritos.
1. Harmonização Inicial
2. Distribuir o texto: “Explicações do Mestre” do livro: Jesus no lar – cap. 3 (relembrando a aula Reforma íntima).

Explicações do Mestre
Em plena conversação edificante, Sara a esposa de Benjamim, o criador de cabras, ouvindo comentários do Mestre, nos doces entendimentos do de Cafarnaum, perguntou, de olhos fascinados pelas revelações novas:
- A idéia do Reino de Deus, em nossas vidas, é realmente sublime; todavia, como iniciar-me nela? Temos ouvido as pregações à beira do lago e sabemos que a Boa Nova aconselha, acima de tudo, o amor e o perdão... Eu desejaria ser fiel a semelhantes princípios, mas sinto-me presa a velhas normas. Não consigo desculpar os que me ofendem, não entendo uma vida em que troquemos nossas vantagens pelos interesses dos outros, sou apegada aos meus bens e ciumenta de tudo o que aceito como sendo propriedade minha.
A dama confessava-se com simplicidade, não obstante o sorriso desapontado de quem encontra obstáculos quase invencíveis.
- Para isso – comentou Pedro -, é indispensável a boa-vontade.
- Com a fé em Nosso Pai Celestial – aventurou a esposa de Simão - atravessaremos os tropeços mais duros.
Em todos os presentes transparecia ansiosa expectativa quanto ao pronunciamento do Senhor, que falou em seguida a longo silêncio:
- Sara, qual é o serviço fundamental de tua casa?
- É a criação de cabras - redargüiu a interpelada, curiosa.
- Como procedes para conservar o leite inalterado e puro no benefício doméstico? - Senhor, antes de qualquer providência, é imprescindível lavar, cautelosamente, o vaso em que ele será depositado. Se qualquer detrito ficar na ânfora, em breve todo o leite se toca de franco azedume e já não servirá para os serviços mais delicados.
Jesus sorriu e explanou:
- Assim é a revelação celeste no coração humano. Se não purificamos o vaso da alma, o conhecimento, não obstante superior, se confunde com as sujidades de nosso íntimo, como que se degenerando, reduzindo a proporção dos bens que poderíamos recolher. Em verdade, Moisés e os Profetas foram valorosos portadores de mensagens divinas, mas os descendentes do Povo Escolhido não purificaram suficientemente o receptáculo vivo do espírito para recebê-las. É por isto que os nossos contemporâneos são justos e injustos, crentes e incrédulo, bons e maus ao mesmo tempo. O leite puro dos esclarecimentos elevados penetra o coração como alimento novo, mas aí se mistura com a ferrugem do egoísmo velho. Do serviço renovador da alma restará então o vinagre da incompreensão, adiando o trabalho efetivo do Reino de Deus.
A pequena assembléia, na sala de Pedro, recebia a lição sublime e singela, comovidamente, sem qualquer interferência verbal.
O Mestre, porém, levantando-se com discrição e humildade, afagou os cabelo da senhora que o interpelara e conclui, generoso:
- O orvalho num lírio alvo é diamante celeste, mas, na poeira da estrada, é gota lamacenta. Não te esqueças desta verdade simples e clara da Natureza.
Após a leitura comentar o ensinamento contido na lição, levando-os a recordar a aula anterior – Renovação íntima.
3. Atividade Introdutória
3.1- Propor que formem subgrupos de 4 participantes. Cada subgrupo irá dispor de 5 a 8 minutos para, verbalmente, completar as seguintes frases:- O defeito que mais me prejudica é...- A qualidade que mais admiro nos outros é...
3.2- Após esse tempo o educador escreverá, no quadro, as respostas do grupo destacando as que mais se repetem.
4 - ATIVIDADES REFLEXIVAS
4.1- Dialogar com o grupo, tecendo breves comentários, respeitando as opiniões emitidas.
4.2- Narrar: os três inimigos. (A história serve apenas de fio condutor para que o conteúdo da reunião possa ser explorado. O importante será a reflexão sobre os três inimigos da alma humana).
OS TRÊS INIMIGOS
Certa vez, um rei, depois de observar bem o seu povo, convocou os nobres da corte e declarou que todo o seu reino estava ameaçado por três poderosos inimigos. Disse que esses inimigos eram terríveis. Deixavam tristeza e solidão onde havia coragem e alegria. E mais: que esses perseguidores cruéis não eram visíveis. O soberano entregou aos nobres, um documento que dizia o seguinte:
fig.01
O primeiro inimigo é como a noite em pleno dia. É uma nuvem escura que cobre o sol e envenena todos os seres.
fig.02
O segundo inimigo é como o mofo que tudo apodrece, destruindo a vida ao seu redor.
fig.03
O terceiro inimigo é como a faísca elétrica. Produz “relâmpagos e trovoadas”. Atinge os nervos e despedaça os ideais de vida.Os nobres ficaram assustados.
Passado um tempo, o rei chamou novamente seus principais nobres e ministros e perguntou-lhes se já haviam decifrado o documento.Todos estavam angustiados. Não tinham decifrado nada e não sabiam o que fazer. O reino seria invadido?Convocaram então um sábio. Era um homem simples que vivia longe do palácio. Os necessitados costumavam conversar com ele. Diziam que era muito bondoso, capaz de lidar com os mais difíceis segredos da alma humana.O sábio leu o documento e tranqüilamente respondeu: os três maiores inimigos do homem não estão fora de nós.
fig.04
O primeiro (Observar novamente o fig.01 colocando ao lado a palavra correspondente - fig.04), essa nuvem escura que cobre o sol, é a depressão. Se abrirmos a porta para ela nossa vida perde a cor. Ela começa com a tristeza, o desânimo e, se não cuidarmos, cresce mais e mais. A oração é o melhor remédio - aconselhou o sábio. Não a oração dita só com os lábios, mas a oração que nos faz sentir unidos a Deus, em profunda paz, mesmo que tudo seja difícil à nossa volta. Olhar o sol, agradecer a chuva, amar a vida são também meios para não deixarmos esse inimigo entrar.O segundo inimigo do coração humano, esse mofo que tudo apodrece, é a mágoa ou ressentimento. (Observar novamente o fig.02 e colocar a palavra correspondente) A mágoa é como o lixo e quem guarda mágoa está guardando lixo dentro de si. O lixo apodrece e a pessoa sente-se muito mal. Como combater esse inimigo? O remédio é praticar o perdão e o amor sem interesse, isto é, fazer todo bem possível por amor, como um dever espiritual que se cumpre, mas nada esperar de volta, nem a gratidão. Nada esperando receber, não se sofre, não se sente mágoa.Todos naquela sala, estavam em silêncio total ouvindo o sábio, que continuou...O terceiro inimigo, essa faísca elétrica que produz relâmpagos e trovoadas que atinge os nervos é a agressividade. (Observar novamente o fig.03 e colocar a palavra correspondente) A pessoa enraivecida não sabe o que diz, perde o raciocínio. Pode fazer coisas que vão prejudicá-la para o resto da vida. O que fazer então? Quando sentir que está ficando irritado, relaxar, respirar fundo, pensar que está em um lugar bonito, sentindo paz, como fazemos no final de nossas reuniões. É importante querer estar em estado de paz interior, não deixando perturbar-se pelas dificuldades do outro que o irrita.Quem agride está com a alma doente e não nos devemos contaminar com sua doença. Devemos nos preocupar com as nossas atitudes e não com as dos outros, perguntando a nós mesmos: “ – Eu agi bem? Eu fiz o melhor?” Quem vai responder é a nossa consciência.Os nobres finalmente entenderam os perigos que ameaçavam o povo e a partir desse dia resolveram que precisavam aprender mais com o sábio a conhecer melhor a si mesmos e aos outros.
(baseado no capítulo “os três inimigos”, do livro “desperte e seja feliz”, de joanna de ângelis.)

4.3- Através do diálogo, esclarecer que, para os “inimigos da alma” não crescerem em nós, dominando e prejudicando, devemos fazer pequenos exercícios, como por exemplo: Diariamente estabelecer um objetivo simples a ser alcançado durante 30 minutos:- Não falar, nem pensar mal de ninguém.- Não ter ciúme do colega que foi elogiado...- Não sentir revolta quando o dinheiro acaba, etc.No final do dia verificar se o objetivo foi alcançado. Aumentar o tempo gradativamente, assim como os objetivos.
4.4- A questão 919 do livro dos Espíritos, refere-se ao meio mais eficaz de nós melhorarmos fazendo assim:
- Ao fim do dia interrogue sua consciência, passa em revista o que fizera e pergunte a si mesmo se não faltara algum dever, se ninguém tem motivo para queixar-se de você.
Fazendo assim chegará a se conhecer e a ver o que em você precisa de reforma.
4. 5- Concluir que o autoconhecimento é indispensável ao nosso progresso e será alcançado através da:
a- identificação das nossas dificuldades e sentimentos.
b- vontade de querer mudar.
5 - ATIVIDADE
5.1- Dividir em três subgrupos. Pedir que montem três cartazes, através de recorte - colagem. Cada um terá como tema a vitória sobre um dos três inimigos da alma citados na narrativa. O importante é apresentar figuras de pessoas que sugiram atitudes de quem já venceu essas emoções negativas.
5.2- Apresentação dos trabalhos pelo grupo.
Prece Final
*Conteúdo (mofificado) retirado do grupo: "Pelos caminhos da evangelização" de Alice Lirio

2 comentários:

Anônimo disse...

Execelente aula amei!!!!
POarabéns

Anônimo disse...

Adorei seu blog! Parabéns pelo maravilhoso trabalho!!!