13 de maio de 2011

Aula - Jesus e Seus Exemplos de Humildade

AULA

JESUS E SEUS EXEMPLOS DE HUMILDADE

Evangelho Seg. o Espiritismo – Cap. 7 – “Bem-aventurados os pobres de espírito”

Objetivos:

- Identificar na manjedoura a primeira lição de humildade trazida por Jesus aos homens;

- Compreender que atendendo aos rudes labores da carpintaria com José, Jesus oferece-nos o exemplo da humildade na excelência do trabalho honesto para dignificação do espírito;

- Conscientizar que Jesus subsistindo na condição de Espírito puro, encarnou na Terra e viveu entre os homens como homem simples;

- Reconhecer nos ensinamentos de Jesus como o do perdão e amor aos inimigos uma atitude de humildade;

- Compreender a humildade de Jesus que, grande em sabedoria e amor, convida doze companheiros simples para colaborar com Ele na difusão do seu evangelho.

- Reconhecer na passagem evangélica um de seus exemplos mais belos, Jesus lavando os pés de seus discípulos, assim demonstrando a maior lição de humildade e submissão à vontade de Deus; nessa sua ação deixa a lição clara para que O sigamos, que façamos aos nossos semelhantes tudo àquilo que gostaríamos que nos fizessem.

Referências bibliográficas: Evangelho Seg. o Espiritismo – Cap. 7 e 12; Evangelização – Conteúdo Programático da União Espírita Mineira –BH/MG; Evangelho da meninada; Lucas, 2; Filipenses 2:5; 2Corintios 8-9; João 13: 5-14; Filipenses 2. 6-8.- Elucidações Evangélicas – Antonio Luiz Sayão; Pensamento e Vida Emmanuel/F.C.Xavier), cap. 24; Religião dos Espíritos (Emmanuel/F.C.Xavier), cap. 17.

Roteiro para aula:

· Sua vida;

· Suas ações;

· Seus ensinamentos.

DESENVOLVIMENTO:

Primeiro Momento:

1) Incentivarão inicial:

Mostrar às crianças a figura de uma pequena manjedoura, perguntando-lhes o que aquele objeto as faz recordar.

Caso elas não consigam responder, estimular-lhes a lembrança do nascimento de Jesus, que teve por berço uma manjedoura (cocho para colocar comida para animais), em uma estrebaria.

2) Desenvolvimento: Exposição dialogada com exposição de imagens.

Desenvolver com as crianças uma conversa baseada nos seguintes itens:

- Jesus podia ter nascido num palácio como um rei, poderia ter muitos servos, andar em lindas carruagens ou lindos animais, pois era os veículos da época, vestir finas roupas, mas não o fez.

- Sua primeira cama foi uma manjedoura, lugar onde comem os animais. Nem num quarto bonito ele nasceu. Nasceu onde os animaizinhos vivem e dormem. Não se vestiu com lindas peças de roupas, foi enfaixado com paninhos, e mesmo depois quando adulto, vestia uma túnica rústica e sandálias de couro nos pés, e saia falando aos homens da Terra sobre o Amor que devemos ter uns pelos outros.

E porque será era tão simples assim? Será que Ele queria nos ensinar algo?

Jesus é tão puro e bom, veio de um mundo todo de luz, uma das moradas dos Espíritos puros, veio viver com nós uns tempos aqui conosco nesse mundo imperfeito. Ele veio trazer algo muito importante sim, que será? Vamos descobrir o que é? Prestem muita atenção para descobrirem essas questões.

(Figura - Manjedoura) – Esse foi o primeiro berço de Jesus. È um lugar onde comem os animais. Ela simboliza ou representa que Jesus traz o alimento essencial, a substância para alimentar nosso espírito – Amor.

(Figura - O Estábulo) – Não importa se vivemos em palácio ou num casebre, o que trazemos no coração é nosso maior tesouro. Quais os verdadeiros tesouros do coração? São as virtudes. Sabem o que significa a palavra virtude? Virtudes são qualidades (coisas boas) que devemos nos esforçar por conquistar ou já conquistamos, com relação as nossas atitudes, pensamentos e sentimentos.

Pois bem, Jesus é muito rico, o estábulo onde nasceu ensina que valemos pelo que somos, e não pelo que possuímos na Terra.

(Figura – Jesus na manjedoura) – Nos preocupamos em vestir lindas roupas, nos enfeitar e ficar bonitos, mas Jesus não se preocupava com isso, pois os Espíritos Superiores se ocupam com o que verdadeiramente é importante para o espírito. O que é importante para o espírito? (As virtudes – pedir que citem exemplos)

(Figura - Jesus carpinteiro) – A família de Jesus era simples, sua casa, os objetos. Seu pai trabalhava como carpinteiro, era um artesão, e desde cedo ensinou Jesus a profissão. Jesus trabalhava arduamente com seu pai desde jovem, e quando José desencarnou, trabalhou mais para ajudar Maria, sua mãezinha. Mas, trabalhando assim, ensinou algo - tem uma lição importante, qual é?

(Figura - Os Apóstolos) – Jesus possuía grande sabedoria, mas também com tanto amor que tinha no coração! Ele era chamado Mestre por todos. Mestre é alguém que tem muita sabedoria e que age conforme ensina. Jesus tinha a sabedoria para ensinar todas as coisas que dizem respeito ao Espírito.

Quando chegou o momento d’Ele sair de casa e trazer instruções e ensinamentos que Deus, nosso pai, o enviou para transmitir a nós, os homens, Ele saiu e escolheu alguns amigos e companheiros para poder ajudá-lo. Era uma tarefa muito importante de muita responsabilidade. E Jesus não escolheu as pessoas mais inteligentes, nem as mais cultas, ricas ou importantes da época. Não foi assim. Ele escolheu pessoas simples, pobres, de pouco estudo, que tinham defeitos e dificuldades, mas tinham muita vontade de aprender e ajudar o semelhante.

(Figura - Os seguidores de Jesus) – Muitas pessoas seguiam Jesus quando Ele saía às ruas, e Ele aproveitava esses momentos para em todos os lugares, nas casas, ruas, estradas, templo, a beira do mar, nos montes, ensinar Amar o próximo e querer bem a todos os semelhantes. Pois então conversava com as pessoas, fazia palestras (longas conversas) e contava pequenas parábolas, pequenas histórias que serviam de exemplos e ajuda a compreender seus ensinamentos. Ele tem muito amor por nós, nós somos seus irmãos mais novos e temos muito que aprender com Ele, e sabia disso.

Ele atraia multidões. Alguns eram apenas curiosos: ouviam e iam embora. Outros queriam apenas ser curados pelo Mestre ou vê-lo praticando curas. Mas muitos eram tocados no coração pelo Mestre, com suas palavras e seu jeito tão doce e sincero de ser. Esses seguiam Jesus em suas viagens, sedentos de saber mais, de se melhorarem como pessoas.
Alguns desses seguidores eram mulheres:
Maria de Betânia (irmã de Marta e Lázaro)
Maria de Magdala (Jesus a curou de uma obsessão)
Maria (esposa de Alfeu e mãe do apóstolo Tiago Menor)
Salomé (esposa de Zebedeu e mãe de Tiago Maior e de João)
Joana (esposa de Cuza, procurador de Herodes).

(Figura - Jesus lavando os pés de seus discípulos) – Vocês conheceram alguém muito bom que faz o bem todo o tempo, e ainda quer que sejamos tão bons quanto ele, e mais? É o nosso irmão mais velho, Mestre, Modelo e Guia, Jesus.

Um dia, Ele fez um gesto de muita grandeza e com esse gesto mostrou como devíamos amar nosso próximo.

Prestem muita atenção no que vou contar.

De acordo com o costume da hospitalidade do povo da época de Jesus, um escravo lavava os pés dos convidados que tinham enfrentado o pó e a lama das estradas. E aquele dia foi a ultima ceia dos discípulos com Jesus, e por algum motivo, naquele dia nenhum escravo estava presente para cumprir esta tarefa. Chegaram os discípulos então no cenáculo (lugar onde faziam a refeição) e esperaram que alguém lavasse seus pés. Mas nenhum escravo estava presente, então sentarão à mesa com os pés ainda sujos não querendo nenhum deles assumir o papel do servo, mas Jesus percebendo-lhes o orgulho em seus corações aceitou a humilde responsabilidade, pegou a toalha a bacia e pôs-se a lavar os pés de Pedro. Pedro protestou, pois ele julgava inconveniente o Mestre lavar os pés de um discípulo, mas Jesus disse-lhe: "O que faço não entenderá agora, mas entenderás depois" e Pedro continuou a protestar indignado, e então Jesus disse: "Se Eu não te lavar, não poderás ir comigo”. É uma forma simbólica que Jesus usou para dizer que devemos livrar-nos das impurezas de nossa alma para viver um dia no seu reino de luz. Essa ação de Jesus é um convite para renovação, para deixar o orgulho e sermos humildes, para que O sigamos e que seremos amados se amarmos e devemos fazer pelos outros que queremos que os outros nos façam. Por isso, se desejam amor dêem amor e sejam humildes, sejam prestativos e não orgulhosos.

- As pessoas que se julgam superiores às outras por terem mais coisas, ou serem mais bonitas ou inteligentes, apenas demonstram que não conhecem a Verdade ensinada por Jesus, e constroem suas vidas baseadas em ilusões, em mentiras que, mais tarde, poderão lhes trazer grandes decepções, muito sofrimento.

Os atos de orgulho servem apenas para nos tornar antipáticos, solitários e infelizes, pois que afastam de nós as pessoas, com as alegrias das descobertas e da convivência fraternal e gentil.

- Jesus deixou muitos ensinamentos, de paz, caridade, amor, amizade, respeito, honestidade. Falou do perdão, que devemos perdoar não apenas sete vezes, mas setenta vezes sete, e quando Jesus disse assim, Ele estimulava-nos a perdoar sem restrições, quantas vezes fossem necessárias, em favor de nosso próprio equilíbrio espiritual, e jamais asilou ressentimentos ou mágoas, mesmo contra aqueles que o crucificaram.

Explicou, também, que Deus é um Pai bondoso e justo e que não devemos temer a Deus, mas confiar nele e amá-lo, que todos os homens são irmãos, filhos do mesmo Deus, pai de amor e misericórdia.

Recomendou a nós perdoar e amar aos inimigos esquecendo as ofensas, vendo-os como irmãos não lhes desejando o mal, pois todos estão sujeitos ao erro e por isso necessitamos do perdão alheio.

O perdão e amor aos inimigos é uma atitude de humildade. Quem segue esses ensinamentos desenvolve em seu coração o amor fraterno.

- Tem muitas coisas que nós AINDA não poderemos realizar como ele. Mas, um dia chegaremos a fazer, pois Jesus afirmou que tudo que Ele fazia, nós também poderíamos fazer, e até mais, reforçou o ensinamento que somos Espíritos criados por Deus com idênticas possibilidades, dependendo de cada um, de seus esforços e atitudes, se fazer mais feliz.

Mas para chegar até Ele o que devemos aprender com o Mestre Jesus? Humildade e Amor ao próximo. Jesus demonstrou sentimentos e atitudes que são exemplo de vida para nós. São referenciais que devemos tomar para as nossas vidas, não devemos nunca nos esquecer que Ele é o farol que deve iluminar nosso caminho.

Terceiro momento: Contar a história a “Manjedoura” de Roque Jacinto.

Segundo Momento:

Fixação: Exercício escrito.

Prece Final

3 comentários:

Rose disse...

Ei eu também sou evangelizadora do Grupo da Fraternidade Eurípedes Barsanulfo. Gostei muito de seu blog! Parabéns por tanta dedicação e carinho! Rosângela.

Lari*~ disse...

Adorei seu plano de aula. A ideia de colocar ensinamentos básicos para depois apresentar o plano é ótima. Mostra o quanto temos que estar preparados para ensinar às nossas crianças. Sua aula ficou realmente linda. Parabéns.

Paola Oliveira disse...

Muito boa aula, porém estou atrás de perguntas do gênero