4 de abril de 2011

Aula - Fraternidade, combatendo preconceitos

PLANO DE AULA


TEMA: Fraternidade - significado e importância


(combatendo os preconceitos raciais e sociais)


1. OBJETIVO: As crianças deverão aceitar que todas as pessoas, independente de raça ou posição social, são iguais perante Deus e têm a mesma destinação: alcançar a perfeição.


2. BIBLIOGRAFIA: Mt, 23:8. LE, itens 54, 115, 116, 803 a 811; O Consolador (Emmanuel/F.C.Xavier), itens 54 a 57 e 61; Caminho, Verdade e Vida (Emmanuel/F.C.Xavier), caps. 42 e 137.


3. Material didático: Ilustrações anexas, lápis de cor. 4. AULA: a) Incentivação inicial: Análise de figura. Mostrando às crianças a Figura 1, o evangelizador dirá que ali estão representadas quatro raças. Indagará, então, qual daquelas pessoas lhes parece ser a mais bondosa, e a mais inteligente. Conduzirá as respostas, de modo a que concluam ser impossível avaliar qualidades de alguém pela aparência que tenha. Enfatizar que diferenças de raça, condição social, crença religiosa, etc. são apenas diferenças e não indicativos de superioridade e inferioridade, porquanto o que nos qualifica são nossos valores internos, espirituais.


b) Desenvolvimento: Narração.


- A PANELA - (Adaptado da obra “E, para o resto da vida...”, de Wallace L. Rodrigues, ed. O Clarim)


Artur era um garotinho esperto e inteligente para seus oito anos. Como residisse um pouco afastado da cidade, o amiguinho que permanecia mais tempo com ele era o André, neto de d. Joana, a ajudante de cozinha da mamãe de Artur.


D. Joana, uma mulata de cabelos já embranquecendo, não dispensava um avental sempre muito clarinho e vivia com um belo sorriso nos lábios. Há muito tempo trabalhava com os Almeida, e como criava o neto, levava-o para o emprego, achando, ela e os pais de Artur, que era muito bom que as crianças se fizessem companhia, pois eram da mesma idade.


Mas, em todas as brincadeiras, a parte do André era sempre a mais pesada, a mais passiva, a secundária. Artur invariavelmente era o “comandante”, o chefe, e André o “empregado”.


- Ei, André, me empurre aqui na gangorra! - dizia Artur. Mas, depois, não empurrava o amiguinho ... (Figura 2)


- Ei, André, vamos brincar de carrinho; eu serei o dono do Posto de gasolina e você será meu empregado. Nas brincadeiras com bola, somente o André a buscava quando acontecia de a mesma rolar para longe.


A maneira como Artur tratava André fazia lembrar de adultos preconceituosos, ou seja, pessoas que se julgam melhores que outras só porque têm mais dinheiro, ou porque estudaram muito, ou porque têm pele clara, por exemplo.


Mas será que Artur tinha consciência do quanto estava errado agindo daquela maneira?


Que vocês acham? Um dia, estavam as crianças brincando, quando ouviram o chamado de d. Joana:


- Ei, meninos, venham me ajudar com esta panela de doce de leite; preciso colocá-la em cima da mesa para encher os vidros.


Já pensando na “provinha” de doce que ganhariam (e como era delicioso o doce de leite de Joana!...), os garotos dispararam, afoitos, para atenderem ao pedido da boa senhora. No que, porém, seguraram nas alças da panela, começaram a gritar: (Figura 3)


-Ai, ai... Ui, ui... A panela ainda está quente!... Ajudando as crianças a aliviarem o desconforto causado pelo calor da panela, que não estava tão quente assim, a velha Joana falou:


- Mas que coisa interessante!... A cor da pele de vocês é tão diferente, e a dor que sentem é a mesma, pois não? Os meninos concordaram que sim.


E nunca mais Artur se esqueceu daquele episódio. Afinal, foi ali que ele começou a perceber que uma pele clara, dinheiro, boa posição social, juventude, não justificam superioridade de ninguém.


5. Fixação: Labirinto. Dar a cada criança a reprodução da Fixação anexa, para que elas encontrem os caminhos que reunirão todas as pessoas no mesmo coração.



Figuras 2 e 3



Fixação



Fonte: ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA No. 24 Departamento de Evangelização da Criança (DEC)

8 comentários:

Anônimo disse...

Excelente aula! Por favor, continuem!

Programa de Pós-Graduação FBT disse...

Voces me ajudam muito viu! Parabéns pelo blog, pelas aulas e muito obrigada de coração!

Tania Martinez
Evangelizadora do Ciclo Primário do Centro Espírita Mansão da Esperança.

Moises Matos disse...

Gostaria de expressar minha admiração por seu trabalho... tudo perfeito! Meus parabéns a vc e a espiritualidade as quais lhe inspiram a tal qualidade...

Yasmin disse...

oi Simone, muito obrigada pela sua ajuda com a aulinha, sou educadora espirita aqui em Sao Paulo, bjs e feliz dia das Mães <3 teus filhos são lindos ( e eu tambem amo gatos) <3

Laura Oliveira disse...

Adoro seu blog! Há anos sempre passo aqui para conferir suas boas ideias. Continue com essa atividade tão linda!

Abraços fraternos

Andréa Moreira disse...

Sou Evangelizadora em São Paulo e sempre uso o seu blog como base para as aulas. É ótimo!!

Margarete Sobrosa disse...

As cruancas gostaram muito da história e das atividades.

Margarete Sobrosa disse...

As cruancas gostaram muito da história e das atividades.