17 de abril de 2011

História - O Desafio do Amor

O DESAFIO DO AMOR

A história é baseada no filme: A Prova de fogo, e foi adaptada por mim para crianças.

Laura era uma menina da idade de vocês. Ela gostava de brincar, pular, falar. Paula não parava para escutar ninguém, não obedecia, birrenta, não sabia fazer um favor, um gesto de carinho, respondia grosseiramente as pessoas dava má resposta, queria tudo pra ela, não dividia nada com ninguém, e era mal humorada.

A mamãe de Laura ensinava a filha que ela não podia ser assim, mas não adiantava. As crianças que morava perto da casa de Laura não gostavam de brincar com ela, pois a menina queria sempre ganhar e todos tinham que brincar com as brincadeiras que ela escolhesse, e não deixava ninguém falar; as crianças estavam acostumadas a brincar juntas, conversando, mas quando Laura chegava não deixava ninguém falar, e era ela que escolhia os assuntos, assim todos se levantavam e a deixavam sozinha. Ela não tinha muitos amigos para brincar, nem suas primas a toleravam.

A sua mãe muito preocupada comentou com a vovó de Paula, então um dia a vovó chamou Laura e fez-lhe um desafio.

- Laura, o nome do jogo é “desafio do amor”. Durante 30 dias você terá que cumprir tudo que está na caderneta que vou mandar pelo correio para você.

Pronto! Estava lançado o desafio do amor! Laura ficou curiosa para saber como era o jogo, e animada quando a vovó disse que tinha um prêmio, além de ganhar o Jogo ela ganharia o maior prêmio da Terra!? Que será, pensava.

Foi pra casa esperando com ansiedade o correio, até que três dias depois chegou um pacote pequeno para ela, a mãe entregou dizendo que foi vovò que mandou.

Abriu então o pacote e encontrou uma pequena caderneta de capa azul celeste aveludada. Tratou de abrir logo e ler, na primeira página havia uma mensagem que dizia assim:

“Minha querida neta, essa jornada de 30 dias não deve ser desprezada, vai ser difícil os dias que se seguirão, mas incrivelmente gratificante. Você é a principal jogadora, você que comanda o jogo, e tudo dependerá de você, este desafio já foi feito a outros antes de você; se conseguir muitos ganham também.

Se nesses dias você se empenhar em fazer um dia de cada vez, o resultado poderá mudar sua vida, seu relacionamento com seus pais, seus irmãos, amigos e professores, enfim com todos aqueles que estão presentes em seu caminho.”

Paula muito curiosa e entusiasmada virou a folha e continuou a ler:

1º dia:

“A primeira parte desse desafio é bem simples, não temos tempo a perder no aprendizado do amor, se esforçamos para a concretização do bem, o amor se refletirá em todos nossos passos, no nosso coração e no dos semelhantes.

Amanhã ao acordar, em sua caminha, com os olhos fechados, por uns instantes apenas, pense em Jesus.

Depois, durante todo o dia, empenhe-se em não dizer nem uma palavra negativa (ofensiva ou agressiva) a ninguém. Nossas palavras refletem o estado do coração, se a tentação surgir escolha em não dizer nada, cale-se a toda e qualquer provocação e a irritação. É melhor segurar a língua do que dizer algo que pode se arrepender depois.

Esteja pronta para ouvir, tardia para falar, e principalmente, tardia para se irar com os outros.”

Aquilo mexeu de alguma forma com o coração de Laura e decidida em cumprir colocou o livro debaixo do travesseiro e aguardou o dia seguinte para começar a cumprir o desafio.

O dia seguinte chegou, antes mesmo de se levantar, releu o que teria que fazer no 1º dia, então fechou os olhos e pensou em Jesus sorrindo...

Logo a mamãe entrou e disse pra levantar vestir o uniforme da escola, tomar café e não se esquecer de escovar os dentes, e quase que ela ia teimar em ficar mais na cama e dá uma má resposta com seu mau humor de todas as manhãs, mas não o fez, calou e obedeceu sem discutir.

Já vestida com o uniforme da escola entrou na cozinha e a mamãe disse:

- Laura, quantas vezes tenho que dizer, minha filha, para não deixar brinquedos, os livros e cadernos da escola, até sapato, Laura espalhados pela casa?

Laura não agüentou e começou a gritar:

- Mãe, não fui eu... Sozinha...

Parou imediatamente quando viu que estava gritando com a mamãe, moderou o tom da voz e disse de novo:

- Mãe, não são só apenas meus aqueles brinquedos e as coisas da escola!...

Mas, a mãe continuou insistindo dizendo que ela era a mais velha e tinha que dar bom exemplo...

Já estava ficando irritada quando se lembrou do desfio do amor, que tinha duas escolhas: calar ou discutir com sua mãe, mas era sua mãe e devia respeito. Escolheu calar e conversar outra hora.

Então durante todo dia foi assim, às vezes nem se lembrava do desafio do amor, outras se lembrava e ela cedia, outras não as tentações de se irritar, gritar, pirraçar, desobedecer, e calava-se a tempo.

Fez muito pouco naquele dia, reconheceu isso no final dele.

No dia seguinte, abriu a caderneta e leu:

2º dia:

“Demonstramos o amor em nossos atos de carinho em nosso dia a dia, e mesmo que os outros não o reconheçam em nós, devemos ser determinados, não desanimar, persistir. Além de pensar em Jesus ao se levantar, não dizer e não fazer nada de negativo com as pessoas, hoje faça gestos inesperados de gentileza.”

Paula ficou pensando, ontem foi tão difícil não dizer e fazer nada negativo, esquecia e quando lembrava já tinha feito, e ainda hoje tinha que ser gentil com quem a irritava!

Fechou a caderneta decidida, ia tentar fazer não podia perder o desafio e o prêmio que a vovó disse que ganharia!

Levantou-se antes da mamãe chegar, mas tinha esquecido alguma coisa... Ah, lembrou. É pensar em Jesus. Mas, além de pensar resolveu fazer um pedido, fechou os olhos e com o pensamento Nele, disse assim: “Jesus, é difícil cumprir as regras do desafio do amor... Ó Jesus me ajuda vencer!” Depois rapidamente vestiu o uniforme e quando a mãe ia chamá-la já estava entrando na cozinha pra tomar café; mamãe até se admirou, mas nada disse. E antes de sair abraçou a mamãe e a beijou, coisa que nunca fazia.

Depois que saiu a mamãe até estranhou o abraço e o beijo, mas não reparou que não foi preciso chamá-la, fazê-la sair da cama, escovar os dentes, e que ela, Laura, nem gritou ou respondeu quando ela fez-lhe cobranças por ser a irmã mais velha.

Durante o dia que passou foi assim, na escola, na rua, se esforçou em não irritar, responder e agredir, e fazia um ou outro gesto de gentileza; às vezes conseguia, outras vezes não.

Mas, reparou que ninguém notava seus esforços, nem a mãe, nem pai, nem o irmão e a irmã. Pensou em desistir e foi falar com a vovó que era inútil ninguém notava.

Vovó a animou dizendo que ser entendido e amado obedecia a uma lei.

- Qual é a lei? Perguntou Laura.

- Quanto mais você se doa em compreensão e amizade, mais você as recebe de volta. Ainda é preciso fazer mais e mais para receber. Todos nós precisamos de tempo, minha filha, as pessoas também precisam de tempo.

E conclui que quando damos amor é muito importante não exigir nada em troca.

Laura sentiu-se mais se animou e não desistiu, fazia cada dia conforme estava descrito na caderneta.

Os dias passaram e Laura ficava diferente, ou, mais dócil, carinhos, obediente, prestativa e compreensiva com as pessoas, as pessoas começaram a notar como estava diferente, os amigos da escola, professores, o padeiro, a moça do caixa do supermercado... E principalmente, a mamãe, o papai e seus irmãos que foram os primeiros a perceberem. E até eles se tornaram pessoas melhores com a mudança de Laura! Pois é na medida em que damos amor, recebemos amor de volta, e ainda transformamos as pessoas a nossa volta, e o mundo!

No final de 30 dias já não era preciso tanto esforço e nem foi mais difícil, porque a prática constante virou um sentimento sincero e hábito comum para ela.

* Vocês já descobriram qual é o prêmio?

Nessa jornada Laura descobriu que o amor deve reger todas as nossas ações em qualquer situação, e que quando somos bons e gentis todos são bons e gentis conosco.

Então, amiguinhos, o prêmio é AMOR, Laura aprendeu a amar seus semelhantes como ela gostaria de ser amada. Pois então, aproveite a dica dela e comece já fazer como ela, um dia de cada vez...

VOCÊ ACEITA ESSE DESAFIO?

AMAR É:

© Amar é fazer ao outro aquilo que nos fizessem;

© É perdoar as pequenas ofensas;

© É aprender a ser dedicado;

© Amar é gostar dos ensinamentos de Deus trazidos por Jesus á Terra.

QUEM AMA:

© Gosta de ajudar;

© Pede desculpa;

© Reparte o que tem;

© É compreensivo;

© É fazer as coisas que Deus ensinou, através de Jesus;

© É evitar fazer aos outros o que não gostaríamos que nos fizessem.

* Ao contar a história apresentei essa imagem para as crianças criança.

*Essa imagem foi coletada na internet.

Nenhum comentário: